Divulgação/Mowa Press
Divulgação/Mowa Press

Ney quer todos com ritmo de jogo na próxima fase

Já classificado, Brasil encara o Equador, de madrugada, e técnico pretende usar o máximo de jogadores reservas

Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2011 | 00h00

De olho na fase final do Campeonato Sul-Americano Sub-20, o técnico da seleção brasileira, Ney Franco, deseja que todos os 20 atletas que estão no Peru cheguem ao hexagonal decisivo com ritmo de jogo. Por isso, fará diversas mudanças na equipe que enfrenta o Equador na noite de terça para quarta, à 0h10 (de Brasília), no Estádio Jorge Basadre, em Tacna. A tendência é de que apenas dois titulares comecem o jogo: o volante Zé Eduardo e o atacante Henrique. Os dois primeiros colocados garantem vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, enquanto os quatro melhores estarão no Mundial da Colômbia, em julho.

Além de dar oportunidade para aqueles que não têm jogado, o treinador vai poupar titulares pendurados com cartão amarelo, casos do goleiro Gabriel, do zagueiro Juan, do volante Casemiro e do atacante Neymar.

O rodízio de atletas servirá também para que a comissão técnica brasileira tenha mais opções para eventuais mudanças. O Brasil começou a competição com dois atacantes na frente e dois meias na articulação. Após a vitória por 4 a 2 sobre o Paraguai, na estreia, Ney escalou o time que enfrentou a Colômbia e a Bolívia com três atacantes e um meia, o são-paulino Lucas.

O rendimento do time, porém, não agradou. O primeiro tempo diante dos colombianos foi complicado - os brasileiros encontraram muita dificuldade para romper a boa marcação - e na última rodada, domingo, quando empataram por 1 a 1 com a Bolívia, o técnico deixou o campo reclamando da equipe. "Não sei como o nosso treinador está pensando em montar o time. Mas temos um grupo qualificado, que proporciona alternativas para a comissão técnica", afirmou o meia-atacante Oscar.

Após a partida contra os equatorianos, todos jantarão e seguirão para Arequipa. O grupo passará a madrugada na estrada, uma vez que o tempo estimado de viagem é de 5 horas.

Nesta segunda, a Argentina derrotou o Chile por 3 a 1 e garantiu a liderança do Grupo A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.