Neymar aparece e Santos é campeão

Craque abre o caminho de seu sexto título pelo clube com um belo gol; nem pênalti perdido atrapalhou o time, que fez 2 a 0 na Universidad de Chile

PAULO FAVERO, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 03h08

Neymar levou o Santos a mais um título - o sexto desde que o craque virou titular do time profissional em 2010. Ele ajudou a equipe a vencer o Universidad de Chile por 2 a 0 e conquistar a Recopa Sul-Americana - no jogo de ida, 0 a 0. Nem o pênalti perdido estragou a festa dos torcedores no Pacaembu, que cantaram e pediam a todo momento: "vai para cima deles Neymar".

Logo aos 20 segundos, o jogador chutou de fora da área e a bola passou perto. Mas isso não quis dizer que o time santista comandaria o jogo, pelo contrário. A Universidad começou a dominar e sorte do Santos ter um craque, que sempre que pegava na bola era perigoso. Pena que apenas ele conseguia fazer a diferença.

O time chileno tratou de manter a posse de bola para evitar que o atacante santista pudesse receber os passes com frequência. Com uma grande movimentação de seus jogadores na frente, os visitantes colocavam os brasileiros na roda, mas pecavam pelo excesso de preciosismo. E quando tudo parecia que iria desmoronar para o Santos, Neymar apareceu, acelerou, tabelou com André e mandou no canto, abrindo o marcador.

Mesmo na frente, o Santos não soube controlar a partida. Voltou a errar muito e muitos jogadores da equipe pareciam perdidos em campo. A boa arrancada de Felipe Anderson foi uma exceção diante do domínio chileno. Mas no final do primeiro tempo, em um vacilo da zaga do Universidad, Neymar recebeu livre, entrou na área e sofreu pênalti de Rojas. O próprio atacante cobrou, mas o goleiro Herrera espalmou e evitou o segundo gol.

Neymar já havia desperdiçado uma cobrança no jogo de ida. Mas seu companheiro André tratou de eximi-lo de qualquer culpa. "Isso acontece. Ele tem crédito", disse, lembrando que a jogada que culminou no bel gol foi combinada. "A gente treinou isso antes e acabou dando certo."

Na etapa final, o Santos recuou e chamou a Universidad para seu campo, para tentar matar o jogo no contra-ataque. Aos 15, em uma falta da intermediária, o meia Felipe Anderson cobrou e o zagueiro Bruno Rodrigo fez o segundo, de cabeça, dando tranquilidade para o time na decisão. A partir daí, o Santos se segurou e garantiu a taça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.