Neymar causa tumulto em Uberlândia

Chegada da delegação do Santos à cidade mineira agita o aeroporto local, pois centenas de pessoas queriam ver o atacante

VÍTOR MARQUES / UBERLÂNDIA, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2011 | 03h03

A chegada da delegação do Santos em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, no início da noite de ontem, causou a maior confusão no aeroporto da cidade. Tudo por causa de Neymar. Uma legião de fãs, cerca de 300 pessoas, superlotaram o saguão do local para esperar o desembarque dos jogadores do time paulista, especialmente do atacante, que hoje enfrentam o América-MG, no estádio Parque do Sabiá, pela 25.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O avião que levou o time do Santos até Uberlândia pousou às 20h15, mas desde as 17 horas o aeroporto, de pequeno porte, já estava lotado à espera da delegação santista. A maioria dos fãs eram meninas, na faixa de 15 a 18 anos, que seguravam cartazes e cadernos com fotos de Neymar.

Sem um grande policiamento, o ônibus que pegaria os jogadores na entrada do saguão teve que ser deslocado para a pista do aeroporto. Assim que desceram do avião, os jogadores do Santos entraram direto no ônibus, que deixou o local em direção ao hotel. Para frustração dos torcedores, que queriam ver Neymar.

A transferência do jogador para o Real Madrid, antecipada pelo portal estadão.com.br na madrugada de domingo, está agitando a imprensa mundial. Os principais jornais e sites esportivos repercutem o assunto, em especial os espanhóis. Para fechar o acordo, o Real Madrid usou a força de seu poder econômico e superou a proposta do Barcelona pelo jogador. Entre o que pagará pela operação e o custo que terá para bancar o salário, livre de impostos do craque, o clube desembolsará 120 milhões de euros (R$ 291,6 milhões) em seis anos, período de duração do contrato.

Só na contratação, o clube desembolsará 60 milhões (R$ 146 milhões). O Santos levará R$ 65 milhões (45%), Neymar R$ 14,6 milhões (10%), a DIS R$ 58 milhões (40%), e a Teisa ficará com R$ 7,3 milhões (5%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.