Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Neymar dá resposta a Tite, mas evita polêmica

Acusado pelo técnico do Corinthians de ser mau exemplo por simular faltas, craque garante estar bastante tranquilo

SANCHES FILHO , ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2012 | 03h05

Neymar não deu importância às criticas que recebeu de Tite após o clássico de domingo entre Santos e Corinthians. Ontem à tarde, antes do embarque da delegação santista para Santiago - faz amanhã, contra a Universidad de Chile, o jogo de ida da Recopa sul-americana -, o atacante não se recusou a falar sobre as acusações de ser mau exemplo para os garotos por, no entender do técnico corintiano, simular faltas. Mas foi econômico nas palavras, além de superficial.

"É da consciência dele. A minha está tranquila. Eu deito e durmo tranquilo'', afirmou Neymar na saída do CT Rei Pelé, depois de dar alguns autógrafos e posar para fotografias.

Mesmo sem ter feito gol, Neymar voltou a desequilibrar. Fez o cruzamento preciso da linha de fundo para o primeiro gol de André e também levantou a bola na medida na cabeça de Bruno Rodrigo para a marcação do terceiro do seu time, o da vitória.

Mas Neymar não foi só isso. Como um veterano, desestabilizou os mais experientes corintianos e fez a alegria do torcedor que foi à Vila Belmiro para ver o Santos se vingar da derrota por 1 a 0 no primeiro jogo das semifinais da Libertadores, há dois meses, no mesmo estádio.

Depois de cometer falta no lateral corintiano Guilherme Andrade, o atacante santista deu um pisão na perna do jogador, que já estava caído. A atitude de Neymar foi um dos motivos da ira de Tite, após o jogo, numa repetição do que aconteceu em 2010, quando o atacante deu um chapéu em Chicão com o jogo parado, numa tentativa de provocar a reação e a expulsão do corintiano.

Imune às pancadas, Neymar, que jamais sofreu lesão por entrada maldosa de um adversário, também aprendeu bem cedo a sair rapidamente de situações adversas. Tanto que precisou de apenas dois jogos e uma semana para virar a página da fraca atuação que teve na derrota do Brasil para o México, na Olimpíada.

O assunto, nos últimos dias, é o fenômeno que joga duas vezes, no intervalo de 30 horas, em dois continentes diferentes, depois de enfrentar um voo de 14 horas e que liderou o seu time nas duas vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro, fato inédito até o seu retorno de Londres.

Léo fora. O lateral-esquerdo Léo vai desfalcar o Santos amanhã, em Santiago. Com uma lesão na panturrilha esquerda, o jogador foi cortado da delegação que embarcou para o Chile. Juan, que cumpriu suspensão no clássico de domingo, será o seu substituto.

Henrique (recupera-se de dores no púbis), Vladimir e Pedro Castro, que fazem parte da lista de 25 jogadores inscritos para a Recopa, também não viajaram.

Muricy Ramalho gostou da produção do time na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians e não deverá fazer outras mudanças na equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.