Neymar e Ganso pedem fim dos apagões

Revelações dizem que Santos não pode perder a concentração

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2010 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS

O susto na dramática vitória por 3 a 2 contra o São Paulo, na abertura das semifinais do Campeonato Paulista, vai servir de lição para os três jogos que separam o Santos do título. Foi o que disseram Neymar e Paulo Henrique Ganso ontem, na reapresentação no CT Rei Pelé.

Os titulares apenas correram ao redor do campo e o clima era bem diferente do da semana passada, com poucas brincadeiras. À noite, o elenco voltou a se concentrar no hotel Recanto dos Alvinegros, anexo ao CT, como parte da programação para o jogo contra o Guarani, pela Copa do Brasil, amanhã à noite, na Vila Belmiro, e o clássico de domingo.

"O Santos não jogou contra o São Paulo metade do que mostrou na maioria dos jogos do Campeonato Paulista", reconheceu Neymar. "Mesmo com um jogador a mais, não marcamos bem. Tivemos a felicidade de fazer o terceiro gol, mas o que aconteceu no Morumbi tem de servir de lição", afirmou Ganso.

Entre as falhas que o time apresentou no primeiro capítulo da decisão, a que mais chamou a atenção de Neymar foi o recuo no segundo tempo. "Além disso, erramos demais. Acabamos pecando em momentos importantes."

A revelação santista acredita que a derrota diante do Corinthians, na decisão do ano passado, possa ter atrapalhado no domingo. "Como estamos numa fase decisiva, há a lembrança e a gente sente o friozinho na barriga. O pior já passou, mas vamos precisar de cuidado no próximo jogo, porque o estádio é do Santos, mas o campo é dos dois times", ressaltou.

Neymar não acredita na repetição dos apagões, como os de domingo e ainda diante de Palmeiras (derrota por 4 a 3) e Corinthians (vitória por 2 a 1 com um susto no final, apesar de o adversário ter dois jogadores a menos). "Não sei se tem como o Santos deixar de ser campeão. O que eu sei é que temos condições de fazer um grande jogo contra o São Paulo, domingo, e dois pelas finais", concluiu o atacante.

O conselho de Paulo Henrique Ganso para que o time não se perca após abrir vantagem no marcador é não mudar sua característica durante o jogo. "Temos de jogar sempre para frente, indo para cima do adversário. Já provamos ter condições de jogar bem em momentos decisivos, mostrando qualidade. Basta não querer mudar a nossa maneira de atuar e manter a concentração durante os 90 minutos"", concluiu o meia.

O técnico Dorival Júnior não pretende poupar titulares para o jogo contra o Guarani, amanhã. E Neymar prefere enfrentar o time de Campinas a ser preservado para o duelo de domingo. na Vila Belmiro. "É só tirar da cabeça o chip do Campeonato Paulista e colocar o chip da Copa do Brasil", disse o atacante.

Ontem, Neymar, Roberto Brum, Robinho e Paulo Henrique Ganso visitaram, de surpresa, as 34 crianças com paralisia infantil que são atendidas pelo Lar Espírita Mensageiros da Luz. Robinho deu a camisa do seu 200.º jogo pelo Santos para ser leiloada, com a renda revertida para a entidade.

Teixeira perde. O Conselho Fiscal do Santos reprovou ontem, por 146 votos a 34, as contas da administração de Marcelo Teixeira em 2009. A dívida de R$ 167 milhões pesou na decisão. Agora, a Comissão de Inquérito e Sindicância do clube vai estudar possíveis medidas cíveis ou judiciais contra o ex-presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.