Helvio Romero/AE - 19/8/2011
Helvio Romero/AE - 19/8/2011

Neymar enfim 'descansa', defendendo a seleção

Atacante do Santos força amarelo e, suspenso, não enfrenta o Figueirense, sábado, na Vila

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2011 | 03h04

O craque Neymar, enfim, vai ganhar um descanso. Suspenso, o atacante do Santos não enfrenta o Figueirense, neste sábado, às 18 horas, na Vila Belmiro. Foi um cartão amarelo mais do que forçado, e comemorado. Ele foi advertido já nos descontos na vitória por 2 a 1 contra o América-MG, na quarta-feira à noite, em Uberlândia.

O motivo? Neymar está cansado. É o segundo atleta do Santos que mais atuou na temporada. Só perde para o goleiro Rafael.

Em pouco mais de oito meses, o atacante de 19 anos atingiu um número de partidas incrível para um jogador de linha: 53 jogos em 2011, divididos entre Santos e seleção principal e sub-20.

Como Neymar está na lista da seleção que vai enfrentar a Argentina, na quarta-feira, em Belém, ele forçou o terceiro amarelo para desfalcar o Santos num jogo teoricamente mais fácil e em casa pelo Brasileiro.

Depois da Argentina pela seleção, o astro santista volta para pegar o Fluminense, no Rio, pela 26.ª rodada do Nacional.

"Ele não sente nada. Para mim, é um jogador fora de série. Vai para a seleção, volta e no outro dia já quer jogar, é até um absurdo. Ele não reclama de nada", elogia o técnico Muricy Ramalho.

Contra a Argentina, em Belém, Neymar fará seu décimo jogo pela seleção brasileira neste ano. Pela equipe sub-20, no Sul-Americano, foram sete.

Contando a partida disputada em Uberlândia, já foram 37 jogos pelo Santos na temporada - Rafael é quem mais atuou pelo time neste ano (54 jogos).

Além do desgaste físico, Neymar também tem uma série de compromissos extracampo, de publicidade, de onde vem boa parte de seus rendimentos.

Muricy Ramalho já quebra a cabeça para montar o Santos sem seu principal jogador, amanhã. "Vai ser uma alteração forçada no meio de campo, mas temos de pensar em algo diferente na ausência dele."

A tendência é que escale Henrique no meio de campo ao lado de Adriano, Arouca, Henrique e Ibson. O ataque terá Alan Kardec e Borges. "É um momento importante, porque vão se definir as coisas, é o momento certo de crescer", comenta Muricy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.