Neymar espera rival mais aberto na volta

O gol de pênalti que definiu a difícil vitória sobre a Argentina foi o 13.º de Neymar pela seleção brasileira, o artilheiro da era Mano Menezes. Para o atacante, o gol vai dar tranquilidade para o jogo de volta, na Argentina, no dia 3 de outubro, em Resistência, na definição do título do Superclássico das Américas.

GOIÂNIA , O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2012 | 03h02

"Na única oportunidade que tive, fiz o gol. O jogo de volta vai ser muito diferente do que foi aqui, pois eles vieram muito retrancados. Lá eles vão ter de atacar, então temos de manter a calma e explorar os contra-ataques", disse o atacante.

Para Neymar, a postura defensiva do adversário dificultou as ações da equipe brasileira.

"Eles vieram muito atrás e tivemos de ter paciência para esperar o melhor momento. No final, deu certo".

Para Wellington Nem, que entrou na etapa final, no lugar de Lucas, a persistência do time foi fundamental para a vitória. "O time buscou a vitória até o final do jogo e isso foi o mais importante. Todo mundo brigou em cada bola. Todos sabiam que a vitória era muito importante para dar confiança para o jogo de volta, na Argentina", avaliou o jogador do Fluminense.

Teste da segurança. Câmeras de monitoramento, homens a postos para impedir brigas, helicóptero à disposição e escolta das comitivas desde a chegada até a saída da cidade. Estes são alguns dos itens do esquema de segurança que será usado nas partidas da Copa do Mundo de 2014 e das Confederações em 2013 e que foi testado ontem no jogo Brasil x Argentina.

Uma comitiva de integrantes das Forças Armadas esteve no estádio para acompanhar o trabalho da equipe de segurança privada contratada pelo Comitê Organizador Local (COL). Os vigilantes atuaram em conjunto com a Polícia Militar de Goiás.

"É uma espécie de laboratório para os jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo", afirma o coronel Márcio Gonçalves Queiroz, A Polícia Militar deslocou 440 policiais, 30 integrantes da polícia montada, 25 viaturas, entre carros e motos, e um helicóptero para servirem ao esquema de segurança da partida. Equipe médica do Corpo de Bombeiros também esteve de plantão no estádio. / COLABOROU PEDRO PALAZZO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.