Nibali amplia folga e é virtual campeão da Volta da França

Italiano, que já tinha mais de sete minutos de vantagem sobre o segundo colocado, foi o quarto mais rápido da 20.ª etapa da prova

AE, Agência Estado

26 de julho de 2014 | 13h13

Vincenzo Nibali está cada vez mais perto do título da Volta da França. Neste sábado, o italiano, que já tinha mais de sete minutos de vantagem sobre o segundo colocado, foi o quarto mais rápido da 20.ª etapa da mais tradicional volta ciclística do mundo e ampliou ainda mais a folga no primeiro lugar. No domingo, só uma catástrofe tira dele a conquista inédita.

A etapa deste sábado teve 54 quilômetros e foi realizada em contra-relógio, com os atletas largando individualmente. Imbatível neste tipo de prova, Tony Martin, da Alemanha, completou o percurso entre Bergerac e Périgueux em 1h06min21s, colocando 1min39s sobre o segundo colocado da etapa, o holandês Tom Dumoulin.

Nibali, da Astana, foi o quarto colocado, a 1min58s do vencedor da etapa. Seu principal rival, o francês Jean-Christophe Péraud, da Mondiale, completou em sétimo e viu a distância para o virtual campeão subir para 7min52s. Em terceiro está outro ciclista da casa, Thibaut Pinot.

Nascido em Messina, na Sicília, Nibali será o primeiro italiano a vencer na França desde Marco Pantani, o último campeão da era pré-Lance Armstrong, em 1998. No ano passado, ele já havia vencido o também tradicional Giro D''Itália. Quando o título for confirmado, será a segunda vitória da Astana, equipe do Casaquistão que só havia sido campeã da Volta da França em 2009, com o espanhol Alberto Contador.

Com largada em Evry no domingo, o estágio final da prova, de 137,5 quilômetros, terá sua chegada em Paris, na avenida Champs-Elysées. Como a etapa tem mais de 60 quilômetros dentro da capital francesa, passando oito vezes por um circuito, tradicionalmente nenhum ciclista consegue escapar e todos completam a prova praticamente Jutos. Nibali, assim, só precisa pedalar com o pelotão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.