Niclevicz atinge objetivo no Lhotse

Ainda frustrado por não ter escalado o Monte Everest em sua última empreitada, o alpinista Waldemar Niclevicz faz um balanço positivo da expedição "O Brasil no topo do mundo", pois atingiu o principal objetivo: chegar ao topo do Lhotse, quarta maior montanha do mundo. "A conquista faz parte do projeto de escalar as 14 maiores montanhas do planeta, todas acima dos 8.000 metros", explicou Niclevicz. Uma avalanche a 8.300 metros o fez desistir do topo do Everest. "Salvei-me, mas a equipe ficou abalada, pois dois integrantes foram arrastados por 150 metros". A expedição foi formada pelos alpinistas Irivan Gustavo Burda, Marcelo Santos, Alir Wellner e Paulo Souza. Niclevicz enfrentou outra avalanche, mas de críticas, antes da viagem ao Everst, acusando-o de forjar suas principais escaladas. O alpinista diz não se abalar, pois tem provas das conquistas. "Fiquei magoado, pois querem denegrir minha imagem. Meu arquivo em Curitiba tem milhares de fotos e filmes e está disponível para quem quiser comprovar". Niclevicz prepara novos projetos para o próximo ano, quando lançará o livro "A montanha da morte", sobre a expedição ao K-2, em 1998 e deverá fazer outra expedição ao Himalaia, provavelmente ao Kanchenjunga. "É a terceira maior montanha da Terra, com 8.598 metros. Já escalei três das quatro maiores e será uma marca importante em minha carreira".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.