Niclevicz se defende das acusações

Waldemar Niclevicz, um dos principais montanhistas do Brasil, prometeu apresentar provas da veracidade de suas escaladas, contestadas por outros alpinistas. Ele assumiu compromisso de divulgar fotografias e filmes depois de sua próxima expedição ao Himalaia, que deve durar até outubro. O anúncio foi feito em tumultuada entrevista, nesta terça-feira, em São Paulo. Niclevicz vai comandar dez alpinistas, entre eles quatro brasileiros, que viajam quinta-feira para o Nepal, com objetivo de escalar os montes Everest e Lhotse (8.841 e 8.501 metros de altitude, respectivamente). A entrevista de Niclevicz foi tumultuada pelo alpinista José Luiz Pauletto, seu desafeto pessoal, que o acusou de se autopromover com o montanhismo e forjar imagens de expedições, reforçando as suspeitas. Niclevicz se orgulha de ser o primeiro brasileiro a chegar ao topo do Everest, mas enfrenta denúncias de que teria forjado uma escalada ao K2 (segunda maior montanha do mundo, com 8.611 metros), no Paquistão. "Tenho provas: são milhares de imagens e horas de filmes. Não entendo porque querem atrapalhar minha carreira", disse Niclevicz.

Agencia Estado,

06 Agosto 2002 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.