Natacha Pisarenko/AP
Natacha Pisarenko/AP

No bobsled, Brasil fica na 29ª colocação e Rússia leva ouro

Após erro na largada, Edson Bindilatti, Edson Martins, Odirlei Pessoni e Fábio Silva não conseguir para rodada final

AE, Agência Estado

23 de fevereiro de 2014 | 11h37

SOCHI - O quarteto masculino do Brasil terminou a disputa do bobsled nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi na 29ª colocação. Neste domingo, Edson Bindilatti, Edson Martins, Odirlei Pessoni e Fábio Silva fizeram a terceira descida e a concluíram na penúltima colocação, não se classificando para a rodada final, que contou com a participação de 20 trenós.

Após realizarem duas descidas no sábado, os atletas brasileiro terminaram o dia em 28º lugar, com um tempo somado de 1min53s60, à frente do segundo quarteto da Coreia do Sul e do terceiro do Canadá. Assim, eles voltaram para uma terceira tentativa neste domingo.

A equipe, porém, cometeu um erro na largada, o que comprometeu a participação e acabou custando uma posição na classificação final, pois acabou sendo ultrapassado pelo segundo quarteto da Coreia do Sul. Os brasileiros registraram a marca de 57s11 e terminaram com um tempo total de 2min50s71, na penúltima colocação entre os 30 quartetos que competiram. A participação em Sochi foi a terceira de um quarteto do Brasil na história dos Jogos Olímpicos. Em 2002, em Salt Lake City, a equipe do País ficou em 27º lugar. Já em 2006, em Turim, garantiu a 25ª colocação.

A Rússia conquistou a medalha de ouro na disputa do bobsled, com o seu primeiro quarteto, formado por Alexey Negodaylo, Alexey Voevoda, Dmitry Trunenkov e Alexander Zubkov, que ficou com o tempo de 3min40s60 em quatro descidas. A Letônia garantiu a medalha de prata, com 3min40s69, e o bronze foi para os Estados Unidos, com 3min40s99. Além da participação do quarteto masculino, o Brasil também participou com uma dupla feminina no bobsled. Fabiana dos Santos e Sally Mayara ficaram na 19ª e última posição na última quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.