No caminho de volta à Série A, jogos de Norte a Sul do País

Em 2013, clube vai jogar em cidades distantes da capital, como Belém, Juazeiro do Norte, Arapiraca e Chapecó

O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2012 | 02h07

O Palmeiras já pode se preparar para percorrer o território brasileiro de Norte a Sul em sua caminhada de volta à Série A em 2013. Rebaixado, o clube vai precisar se deslocar até 3 mil quilômetros para disputar suas partidas durante seu calvário na segunda divisão do futebol nacional.

De São Paulo, é certo que o Palmeiras vai encarar o Oeste de Itápolis, um dos quatro melhores da Série C deste ano. Os outros adversários paulistas do time serão definidos na última rodada da Série B. O São Caetano briga por uma vaga no G-4 e Bragantino, Guarani e Guaratinguetá lutam contra o rebaixamento.

Dois dos quatro times que subiram da Série C neste ano serão os que mais darão trabalho à logística alviverde. Contra o Paysandu, em Belém, o time vai encarar quase 4 horas de avião para chegar à capital do Pará. No Ceará, além de jogar em Fortaleza no novo Castelão, estádio que foi reformado para a Copa de 2014 e onde o Ceará mandará seus jogos, o Palmeiras vai enfrentar o Icasa, de Juazeiro do Norte.

Da Bahia, o Alviverde espera mais uma semana para ver se vai ao Barradão enfrentar o Vitória, que pode subir para a Série A no sábado. Ainda no Nordeste do País, o Palmeiras terá pela frente um dos seus fantasmas do passado: o ASA de Arapiraca, time alagoano algoz do clube na Copa do Brasil de 2002. De Maceió, o clube poderá enfrentar o CRB, que ainda luta contra o rebaixamento à Série C.

Em Minas, do caminho do Palmeiras saem os tradicionais Cruzeiro e Atlético-MG e entram América-MG, de Belo Horizonte, e o Boa Esporte, de Varginha, mas não vai enfrentar o Ipatinga, clube que em 2013 se mudará para Betim, na região metropolitana da capital mineira e que disputará a terceira divisão.

No Sul do País, o Palmeiras passará por Curitiba, onde vai enfrentar o Paraná (e também pode jogar contra o Atlético-PR, que pode ficar fora do G-4 neste ano). E o clube passará nada menos do que quatro vezes em Santa Catarina. Em Florianópolis, na capital catarinense, o clube vai jogar contra Avaí e Figueirense, e vai encarar dois clubes do interior do estado: Joinville e Chapecoense.

E para piorar a situação, o clube pode ficar praticamente sem mando de campo para 2013, na Série B. Nesta sexta-feira, o clube será julgado pela confusão dos torcedores com a polícia na partida contra o Botafogo, em Araraquara e pode perder até 20 mandos de campos.

Protesto. Revoltados com a situação política do clube, palmeirenses de várias partes do País protestaram ontem. Faixas com os dizeres "Diretoria, o câncer do Palmeiras" foram colocadas em locais públicos de cidades como Goiânia, Cuiabá, Teresina, Ponta Grossa, São Luiz e até em Brasília, em frente ao Congresso. As imagens foram divulgadas pelos torcedores através do Twitter e do Facebook.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.