No caminho do bi,Santos terá força máxima na Vila

Muricy Ramalho prega respeito à Ponte Preta e diz que o Estadual não vale nada para o campeão, mas é triste para o perdedor

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2011 | 00h00

SANTOS - Completo, em ascensão e confiante, após passar de fase na Libertadores, o Santos é o favorito contra a Ponte Preta, hoje, às 16 horas, na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. O jogo é o primeiro dos quatro que faltam aos santistas para a conquista do bi estadual. A expectativa é de lotação do Alçapão da Vila. No início da tarde ontem, todos os ingressos para não sócios estavam esgotados, restando apenas 1.700 para associados.

Muricy Ramalho disse ontem que só não escalará força máxima se houver problema com algum jogador. Arouca e Jonathan, os últimos titulares que voltaram ao time, foram os que mais sentiram o desgaste do jogo de quarta-feira e podem ficar fora se não estiverem totalmente recuperados hoje.

"Vou esperar a revisão médica, mas a formação deverá ser a mesma da quarta-feira, porque a partida é uma decisão importante. Como o jogo contra o América-MEX será na próxima quarta-feira (na Vila Belmiro), teremos um dia a mais para a recuperação", explicou o técnico.

Se resolver preservar Arouca para não correr o risco de perdê-lo para o primeiro confronto com o América-MEX, Muricy devolverá a camisa 5 a Adriano, um dos jogadores que mais admira pela firmeza na marcação e obediência tática.

Com relação a Elano, que começa ser questionado depois de ter jogado mal contra o Táchira, o técnico explica que um time de velocidade como o Santos tem de ter alguém que prenda um pouco a bola e pense o jogo. "Além disso, o Elano é perigosíssimo em lances de bola parada e isso é fundamental porque no futebol atual são muitas as faltas e os escanteios", defendeu o técnico.

Mesmo já tendo sentido a força do time nas vitórias contra o Cerro Porteño, em Assunção, no Paraguai, e o Deportivo Táchira, no Pacaembu, Muricy considera imprevisível o resultado de hoje contra a Ponte Preta.

Um dos motivos é o respeito ao adversário que derrotou três dos considerados grandes e empatou com o próprio Santos. Ele destaca dois pontos fortes na Ponte: o conjunto e a parte física. "É um time bem armado, perigoso quando joga fora de casa e que está descansado porque treinou durante a semana inteira", ponderou o comandante santista.

Além disso, Muricy não gosta de decisão em mata-mata e muito menos em disputa de vaga em partida única. "Nesse tipo de decisão nem sempre ganha o melhor, que pode estar num dia em que as peças não se encaixam. É o tipo de jogo em que o imponderável pode decidir", acrescentou.

Embora faça questão de ganhar o Campeonato Paulista - o título que está mais à mão - para não marcar negativamente o seu início no clube, Muricy já sente que para a semifinal talvez tenha que optar pela Libertadores. "Todos os campeonatos estaduais não são importantes para quem ganha, mas para quem perde é triste. É terrível porque vem a cobrança. É importante ganhar, mas é claro que é preciso levar em consideração que estamos numa competição fortíssima como a Libertadores", concluiu.

Fora da Libertadores. Após a realização de um exame de imagem nas costas, o atacante Diogo foi informado que teve uma fratura de estresse na vértebra L5 e vai ficar cerca de dois meses em tratamento. Isso vai tirar o jogador das partidas decisivas do time no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores.

Já Neymar deu um susto durante um descontraído rachão ontem no CT Rei Pelé. Após choque com o goleiro Vladimir, o atacante levou pancada na perna esquerda e caiu reclamando de dores. Foi tratado na hora e chegou a voltar ao treino, embora mancando e participando pouco da atividade. Ainda assim, está confirmado para enfrentar a Ponte Preta hoje na Vila Belmiro.

 

Veja também:

som ESTADÃO ESPN - Arouca do Santos ressalta que duelo contra a Ponte Preta será complicado

link Ganso se diz dividido entre rivais Milan e Inter

link Ponte: desafio é seguir invicta contra grandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.