Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Martin Meissner/AP
Martin Meissner/AP

No encerramento, Londres 'passa bastão' para o Rio

Algumas referências à cultura brasileira foram feitas durante a festa, com direito a shows

O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2012 | 20h19

LONDRES - Os Jogos Olímpicos de Londres foram oficialmente encerrados na noite deste domingo, com a cerimônia que aconteceu no Estádio Olímpico e "passou o bastão" para o Rio. Agora, a cidade brasileira passa a ser a capital da Olimpíada, já que receberá o evento daqui quatro anos. Por isso, o Brasil teve espaço considerável na festa que marcou o adeus britânico.

Algumas referências à cultura brasileira foram feitas durante a festa, com direito a shows. Foram oito minutos destinados ao Brasil, que foi representado pelos cantores Seu Jorge, BNegão e Marisa Monte, os atletas Robert Scheidt e Maurren Maggi, a modelo Alessandra Ambrósio e até por um gari, Renato Sorriso. Para completar, Pelé também apareceu na festa.

O clima da cerimônia britânica era uma mistura de alívio, pelo sucesso da organização dos Jogos, e orgulho, pela qualidade do evento. O esporte deu espaço à arte e a festa tinha o claro objetivo de mostrar a cultura local, tudo com muita luz e música. No total, foram mais de 4.100 participantes, sendo 3.500 voluntários adultos e 380 crianças.

A primeira parte da cerimônia tratou da cultura britânica. Desde as paisagens de Londres até sensações experimentadas na cidade eram retratadas. A parte musical recebeu muita atenção dos organizadores, que fizeram questão de mostrar os estilos ouvidos no país. Desde roqueiros históricos, como John Lennon e Freddie Mercury, até a nova banda pop One Direction, todos tiveram seu espaço.

A cerimônia começou com um cenário representando Londres, com os principais pontos turísticos da capital inglesa, como a London Eye, a Tower Bridge e o Big Ben. O objetivo era justamente levar os espectadores a uma viagem de um dia pelas ruas da cidade, com o contraste entre as belas paisagens do local e o estresse do trânsito.

Mas a festa estava mesmo voltada à música e os primeiros traços esportivos só começaram a aparecer em meio à apresentação da cantora Emile Sande. No telão, imagens de atletas emocionados por suas vitórias e derrotas durante a Olimpíada. Entre elas, o meia Lucas desolado pela derrota para o México e o judoca Felipe Kitadai, feliz com a medalha de bronze.

Foi então que os porta-bandeiras de cada delegação entraram no estádio. Destaque para o britânico Ben Ainslie, que se tornou o maior velejador olímpico da história ao conquistar sua quarta medalha de ouro, e quinta no total. A bandeira brasileira foi carregada pelo boxeador Esquiva Falcão, um dos principais personagens do País nesta Olimpíada, que conquistou a medalha de prata na categoria até 75kg.

A festa então passou a ser comandada pelos atletas. De forma original, alguns deles surgiam no meio do público e desfilavam pelo campo. Diferentemente da organização na abertura dos Jogos, a entrada dos competidores nesta cerimônia de encerramento se dava de forma mais espontânea. Muitos deles aproveitavam para tirar fotos e alguns até dançavam.

Após a saída dos atletas aconteceu a premiação da maratona, vencida por Stephen Kiprotich, de Uganda, e que teve o Quênia na segunda e terceira colocações, com Bel Kirui e Wilson Kipsang Kiprotich, respectivamente. Mas logo a festa voltou a dar espaço a apresentações artísticas, com um coral de crianças cantando a música "Imagine", de John Lennon - o ex-Beatle, já morto, teve sua imagem projetada no telão em meio a um show de luzes.

Depois de apresentações de George Michael e Kaiser Chiefs, a cerimônia homenageou as modelos britânicas, como Naomi Campbell e Kate Moss. A viagem pela música do país continuou, com Russell Brand cantando Beatles. Jessie J, Tinie Tempah e Taio Cruz desfilaram em carros, interpretando suas músicas. Depois, no palco, cantaram Bee Gees. Na sequência, as Spice Girls e Liam Gallagher, do Oasis, continuaram o show pop.

Após inúmeras apresentações musicais, a bandeira grega foi hasteada e o hino da Grécia foi tocado para dar início ao próximo ciclo olímpico oficialmente. Então foi feita a transferência da bandeira olímpica para as mãos do prefeito do Rio, Eduardo Paes. A bandeira brasileira também foi hasteada, ao lado da grega, e o Hino Nacional mostrava que a Olimpíada já era de responsabilidade do País.

Começou então o show brasileiro, com o gari Renato Sorriso "ensinando" um segurança a sambar e comandando a batucada, ao lado de passistas. A cantora Marisa Monte, vestida de Iemanjá, entrou para interpretar Villa-Lobos, rodeada de índios. O maracatu se juntou à mistura com a chegada de BNegão, que cantou "Maracatu Atômico".

A modelo Alessandra Ambrósio entrou no estádio, seguida pelo cantor Seu Jorge, vestido de sambista a interpretando Wilson Simonal. Em um clima bem carioca, com o calçadão retratado no chão, Seu Jorge, Marisa Monte e BNegão se juntaram para cantar "Aquele Abraço". Então, a grande surpresa da noite: Pelé, que entrou para dar fim à festa brasileira.

Para colocar um ponto final definitivo no ciclo olímpico britânico, o presidente do Comitê Organizador dos Jogos de 2012, Sebastian Coe, fez um discurso emocionado e foi muito aplaudido. "Quando chegou nosso momento, fizemos direito", resumiu. Presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge declarou o término oficial da Olimpíada e o apagar da chama olímpica confirmou que Londres já não era mais a capital do esporte.

Para fechar, a banda "The Who" levou o público ao delírio e uma longa queima de fogos coloriu o céu londrino para deixar o clima ainda mais festivo. Agora, a família olímpica só volta a se encontrar em 2016, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.