Felipe Dana/ AP
Felipe Dana/ AP

Handebol masculino atropela Canadá em estreia no Pan

Brasil consegue rodar elenco em quadra na goleada

NATHALIA GARCIA, Enviada Especial a Toronto, Estadão Conteúdo

17 de julho de 2015 | 15h10

A seleção brasileira masculina de handebol não se intimidou com o "fator casa" e atropelou o Canadá por 34 a 17, nesta sexta-feira, na estreia nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Para o técnico Jordi Ribera, um bom resultado na primeira partida foi importante para tirar um pouco da tensão da equipe.

Os canadenses encontraram bastante dificuldade para passar pela defesa do Brasil. Quando conseguiam deixar os marcadores para trás, paravam nas mãos do goleiro. Maik Santos e Cesar Almeida tiveram bom aproveitamento enquanto estiveram em quadra, especialmente em tiros dos nove metros, e ajudaram a equipe a encaixar gols de contra-ataque.

O treinador aproveitou o placar elástico para dar oportunidade para todos os jogadores à disposição. Essa rodagem permitiu que a equipe toda balançasse as redes, diferentemente do que ocorreu no time adversário. O Canadá concentrou boa parte de seus esforços nas mãos de Mark Walder, sem muito sucesso.

Jordi ainda experimentou diferentes esquemas táticos de defesa durante a partida. O primeiro foi o 5-1, com cinco jogadores na base da área e um atleta deslocado para dificultar a troca de bola dos adversários, na sequência, puxou a marcação mais para a direita. Por fim, explorou o 6-0, com todos os brasileiros de linha compactados, fazendo apenas uma flutuação para impedir o arremesso do rival.

"Todos os jogadores puderam jogar mais ou menos o mesmo tempo, pude trabalhar diferentes tipos de defesa. Tivemos problema nos primeiros cinco, dez minutos de jogo, mas depois foi tranquilo. Falhamos em alguns arremessos de seis metros, mas acho que para um primeiro jogo fomos bem", avalia.

O resultado mostrou que o time está confiante na busca pelo ouro e quer deixar o fantasma da medalha de prata em Guadalajara. Em 2011, o Brasil foi superado pela Argentina na final e acabou fora da Olimpíada de Londres. "O Pan de Guadalajara ainda está meio entalado. A gente veio aqui (Toronto) para ser campeão. Pode ser contra quem for, a gente vai entrar com sangue no olho", avisa Fábio Chiuffa.

O Brasil volta a entrar em quadra no domingo, às 12h30 (de Brasília), contra o Uruguai. E fecha a rodada preliminar do Grupo A contra a República Dominicana na terça-feira, às 14h30. A outra chave é composta por Argentina, Cuba, Chile e Porto Rico. Neste sábado, às 12h30, será a vez da equipe feminina enfrentar as anfitriãs canadenses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.