Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

No Peru, a arrancada rumo a Londres

Disputa começa hoje e tem como principal atrativo as duas vagas para os Jogos de 2012, em que o Brasil buscará o inédito ouro

Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2011 | 00h00

A corrida do futebol sul-americano rumo aos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, começa hoje, no Peru, com o início da disputa do Campeonato Sul-Americano Sub-20. A abertura da competição, reconhecida também como um torneio pré-olímpico, será marcada por um dos mais tradicionais confrontos do continente: pelo Grupo A, Argentina e Uruguai se enfrentam às 18 horas (de Brasília), no Estádio Monumental, em Arequipa. Na sequência, no mesmo local, a equipe dona da casa fecha a rodada diante do Chile.

A estreia do Brasil será à 0h10 de amanhã para terça-feira, diante do Paraguai. O Brasil está no Grupo B, com sede em Tacna (localizada a 1.293 quilômetros da capital Lima), também ao lado de Bolívia, Colômbia e Equador.

O time comandado pelo técnico Ney Franco traz como principal estrela o atacante Neymar, destaque do Santos em 2010 e que chega ao Peru com a missão de ser o diferencial da equipe e, quem sabe, o grande nome da competição. É verdade que a qualificação do grupo pode ajudar o santista. Ao seu lado, Neymar terá outros jovens talentos, como os meias Lucas, do São Paulo, e Oscar, que também apareceu no Morumbi e hoje defende o Internacional.

"A gente percebe que o Neymar é diferenciado só pelo jeito de tocar na bola. A precisão e desenvoltura nos dribles e nas finalizações são raras", comentou Ney Franco. O treinador, no entanto, prefere manter os pés no chão e, apesar da força brasileira, adota discurso cauteloso. "Não coloco o Brasil como favorito. A Colômbia chega aqui com um bom time e a Argentina tem uma escola muito tradicional como a brasileira. Essas três equipes estão em igualdade de condições", completou. O Brasil nunca ganhou um ouro olímpico.

A garotada brasileira contou com atenção especial para iniciar bem o projeto de conquista da primeira medalha de ouro olímpica. Reunido desde a segunda semana de dezembro na Granja Comary, em Teresópolis, local tradicionalmente utilizado pela seleção principal em fases de preparação para compromissos importantes, o time só interrompeu os treinamentos durante as festividades de Natal e réveillon. "Desde o primeiro dia em que o Mano (Menezes) assumiu a seleção principal, foi deixado claro o quanto é importante para o grupo e para o Brasil essa conquista", afirmou Ney Franco. "Por isso realizamos um trabalho forte durante as últimas semanas, em Teresópolis, para chegar aqui em boas condições para buscar essa classificação."

Todos contra todos. O Pré-Olímpico é disputado pelas dez seleções dos países associados à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). O formato de disputa chama atenção por não contar com o tradicional sistema mata-mata, comum nesse tipo de evento. Na primeira fase, os times são divididos em dois grupos de cinco. No Grupo A, com sede em Arequipa, estão Argentina, Chile, Uruguai, Venezuela e os donos da casa, os peruanos. No B, o Brasil ficou ao lado de Paraguai, Colômbia, Equador e Bolívia. Todos jogam contra todos dentro da chave. Avançam os três primeiros colocados de cada.

Na fase final, as seis seleções classificadas formam um grupo único e voltam a se enfrentar, mais uma vez todos os times contra todos. Os dois primeiros colocados garantem vaga nos Jogos londrinos, enquanto os quatro melhores vão para o Mundial da categoria, marcado para julho, na Colômbia. Detalhe: caso os colombianos passem para a fase final, apenas um dos seis classificados não disputará a competição, uma vez que a Colômbia, na condição de país-sede, já tem presença confirmada.

Breve história. O Campeonato Sul-Americano de Juniores é a competição mais antiga do mundo da categoria. A primeira edição foi disputada em 1954, em Caracas, na Venezuela. Os uruguaios sagraram-se campeões, com os brasileiros em segundo. O artilheiro foi o paraguaio Juan Aguero, com sete gols.

No Peru, o evento chega à sua 25.ª edição. O Brasil é o maior vencedor, com oito títulos, e atual bicampeão. Esta é a segunda vez na história que a competição vale também como classificatória para os Jogos Olímpicos. A primeira foi em 2007, no Paraguai, que terminou com brasileiros e argentinos garantidos na Olimpíada de Pequim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.