Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

No ritmo dos Meninos da Vila: 4 a 1

Santos começa Estadual como terminou em 2010, com show de gols. A primeira vítima foi o Linense e o time ainda jogou desfalcado de seus principais nomes

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2011 | 00h00

O Santos honrou o posto de atual campeão paulista e venceu facilmente o Linense por 4 a 1 ontem, na casa do rival. Com grande atuação de Maikon Leite e Zé Eduardo, que estão perto de deixar o clube, o time de Adilson Batista superou importantes desfalques e soube se aproveitar da fragilidade da equipe de Lins, que venceu a Série A2 em 2010 e volta à Primeira Divisão do Estadual após 54 anos.

"Estamos longe do ideal, mas a superação que o time mostrou hoje (ontem) valeu", disse Léo. "Tem que ser assim, para chegar bem à Libertadores."

Mesmo sem Neymar, Ganso e Elano, os mais aguardados pela torcida santista, Adilson Batista surpreendeu e optou por uma formação bastante ofensiva, com Zé Eduardo, Maikon Leite e Keirrison no ataque. Os três marcaram gols, mas Keirrison ficou claramente abaixo dos companheiros. O camisa 9 sofreu o pênalti e converteu em gol, mas cometeu uma penalidade ajudando a defesa e pouco apareceu no jogo, começando a temporada com a mesma falta de brilho do ano passado.

Os destaques foram mesmo Maikon Leite, autor de dois gols, e Zé Eduardo, que fez um bonito gol e deu passe na medida para o companheiro abrir o placar. Para azar do Santos, os dois estão com os dias contados no clube. Zé Eduardo está muito perto de ser negociado com o futebol italiano e Maikon já assinou pré-contrato com o Palmeiras. "Tenho de pensar em jogar bem aqui, pois, se não estiver bem, outros clubes não vão me querer se acaso eu sair", afirmou o artilheiro da noite.

Outro destaque santista foi o goleiro Rafael, que defendeu um pênalti e, por diversas vezes, salvou a zaga. "Tenho feito meu trabalho, todo mundo confia em mim e espero corresponder", disse Rafael, que agora ganha a concorrência do goleiro Aranha, contratado do Atlético-MG. "Tem muitos atletas para chegar, mas quem jogou foi bem."

Desprotegida, a defesa formada por Edu Dracena e Durval não deu segurança ao Santos, mas o ataque do Linense, com Pedrão e Fausto, não estava com a pontaria apurada e facilitou o trabalho.

Começo arrasador. O Santos garantiu a vitória ainda no primeiro tempo, levando vantagem de três gols para o intervalo. Logo aos 8, Zé Eduardo foi lançado na esquerda e cruzou com categoria na segundo trave para Maikon Leite, livre, empurrar de cabeça para a rede.

O gol diminui a empolgação do time local, que teve estádio cheio no retorno à elite paulista. No contra-ataque, o time santista foi encontrando espaços e, aos 33, Zé Eduardo aprontou outra vez pela esquerda para ampliar. Passou em velocidade pelo zagueiro e deu um lindo toque por cobertura para vencer o goleiro, que saiu afobado do gol.

O terceiro veio de pênalti, aos 40, em falta desnecessária cometida pelo veterano zagueiro Rafael Turatto em Keirrison. O atacante bateu firme no canto direito para fazer 3 a 0.

Após o intervalo, o time de Lins voltou melhor e teve a chance de diminuir, aos 5. Em disputa de bola, o juiz marcou pênalti discutível de Keirrison em Fausto. O próprio Fausto cobrou, mas Rafael defendeu. Com outras grandes defesas, o goleiro frustrou o ataque do time da casa. Aos 21, em jogada individual, Maikon Leite avançou pela esquerda, puxou para o meio e chutou de fora da área para fazer o quarto. Fausto ainda diminuiu para o Linense aos 43, mas já era tarde para uma reação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.