Geoff Burke/ USA Today Sports/ Montagem/ Estadão
Geoff Burke/ USA Today Sports/ Montagem/ Estadão

No sufoco, Brasil vence República Dominicana e vai à final do basquete

Após 68 a 62, seleção espera adversário de EUA x Canadá

MARCIO DOLZAN, Enviado Especial a Toronto, Estadão Conteúdo

24 de julho de 2015 | 16h52

Quatro anos após levar uma virada no fim da partida diante da República Dominicana e ser eliminada de forma vexatória ainda na primeira fase dos Jogos de Guadalajara, a seleção masculina de basquete se redimiu nesta sexta-feira, em Toronto - mas com uma dose de dramaticidade. O time do técnico Rubén Magnano derrotou os dominicanos por 68 a 62 pela semifinal dos Jogos Pan-Americanos de Toronto e se classificou à final. O adversário deste sábado (17h30 pelo horário de Brasília) sairá do confronto entre Estados Unidos e Canadá, que jogam no início da noite desta sexta.

O jogo que colocou o Brasil na final foi, de longe, o mais difícil do torneio. O time teve dificuldades em marcar, foi pressionado no ataque e errou lances incomuns em sua campanha até a semi. E em apenas um momento conseguiu abrir uma vantagem de nove pontos, no segundo quarto.

Desde o início da partida ficou claro que a seleção teria dificuldades. A marcação dominicana era intensa na defesa e as poucas bolas que sobravam para o arremesso de três, desta vez, custavam a entrar. JP Batista e Leo Meindl tinham dificuldades de penetração. Augusto Lima, por sua vez, era o único que encontrava bons espaços para pontuar. Não à toa contribuiu com 15 pontos, segundo maior pontuador do jogo ao lado do dominicano James Stokley, e onze rebotes.

Neste ritmo, a República Dominicana passou os primeiros minutos medindo forças em igualdade com o Brasil. O placar chegou a marcar 8 a 8. Rubén Magnano, então, mudou o time. As entradas de Larry Taylor e Olivinha deram certo e o time brasileiro fechou o primeiro quarto vencendo por 18 a 12.

No segundo quarto, o Brasil melhorou com a entrada de Benite, que vem sendo um dos principais nomes da seleção no Pan e foi o cestinha da partida, com 18 pontos. Mas isso não impediu que os dominicanos seguissem marcando seus pontos e mantivessem a diferença em apenas seis (35 a 29) para a metade final do jogo.

A situação do Brasil se complicou depois do intervalo. Com erros de passes e muitas vezes precipitado nas investidas, o time permitiu a chegada dos dominicanos, que chegaram a estar à frente em duas oportunidades no marcador e fecharam o terceiro período em 50 a 50 graças a um arremesso de três pontos de Andres Feliz no último segundo.

No período derradeiro da partida, a partida seguiu encardida. Após uma boa arrancada brasileira, que fez com que o time abrisse quatro pontos, os dominicanos se aproveitaram de erros do Brasil e empataram em 54 a 54 em lance em que Manuel Fortuna avançou sozinho a partir da metade da quadra, faltando menos de cinco minutos para zerar o cronômetro.

O jogo, então, ficou dramático. Brasil e República Dominicana passaram a se alternar na liderança. No último minuto, porém, o time brasileiro conseguiu administrar o jogo e, graças a quatro arremessos livres de Benite e uma bela arrancada de Larry Taylor, abriu seis pontos e encaminhou a vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.