Wander Roberto/COB
Wander Roberto/COB

No tiro com arco, uma chance de ouro para o Brasil

Aos 17 anos, Marcus Vinícius D’Almeida é o maior destaque do País

Marcio Dolzan, ENVIADO ESPECIAL A TORONTO, O Estado de S. Paulo

14 de julho de 2015 | 07h00

Uma das grandes esperanças de medalha para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, a competição de tiro com arco começa nesta terça-feira, a partir das 11h (horário de Brasília), com a fase de classificação. As provas prosseguem até sábado e, com seis representantes, o Brasil participa da competição na prova individual e por equipes.

O time brasileiro conta com Larissa Feitosa, Ane Marcelle dos Santos e Sarah Nikitin, no feminino, e Marcus Vinícius D’Almeida, Bernardo Oliveira e Daniel Xavier no masculino. Atual vice-campeão mundial entre os adultos e campeão do mundo Júnior, Marcus Vinícius D’Almeida é o favorito para levar o ouro na prova individual.

Nesta segunda, logo após participar do último dos três dias de treinos no local da prova, o brasileiro estava confiante. “Acho que todo atleta do Brasil veio para cá pensando em medalha. Ninguém sai de casa pensando no pior. A expectativa é pelo ouro, mas não será fácil.”

A competição de tiro com arco será realizada em um dos campi da Universidade de Toronto, na região central da cidade. Segundo Marcus Vinícius, o vento é constante no local e isso deverá interferir na pontuação final dos competidores.

“Não é muito forte, mas é um vento que tira do 10 e joga pro nove”, afirmou, referindo-se à marcação de pontos do alvo. “Está variando um pouco, mas se venta pra um, venta pra todo mundo. Temos que aceitar essa dificuldade.”

Para ele, os principais adversários do Brasil na busca por medalha na modalidade são Estados Unidos, México e Cuba, além dos donos da casa. “Mas nossa equipe toda está bem preparada para a competição.”

Após encerrar a participação no Pan, a equipe brasileira irá para o Mundial, que começa dia 26, em Copenhagen, na Dinamarca. Por isso, mais do que uma chance de medalha, a competição em Toronto também é vista como uma preparação. “Nossa expectativa é trazer resultados bons para o Brasil, e vai ser um medidor para avaliar se nosso trabalho está sendo certo ou não”, pontuou o atleta.

ESTREIA

Apesar de já ter participado de um campeonato mundial entre os adultos, Marcus Vinícius D’Almeida disputa os Jogos Pan-Americanos pela primeira vez. Ele diz que, há quatro anos, enquanto acompanhava pela TV aos Jogos de Guadalajara, não imaginava que agora estaria representando o País com chances reais de medalha. “As coisas têm acontecido muito rápido para mim.” 

O arqueiro demonstrou estar feliz com mais esta experiência. “Graças a Deus estou tendo a oportunidade de trilhar este caminho. Estou participando do Pan-Americano e vou para o meu segundo mundial adulto, mesmo com 17 anos. São poucos os atletas que conseguem isso na carreira.”

Marcus Vinícius está hospedado na Vila Pan-Americana, local que receberá mais de sete mil atletas até o fim da competição. Elogiou as instalações do local e a comida servida no refeitório com capacidade para duas mil pessoas, mas deixou escapar o descontentamento com o colchão, que seria muito macio.

Mesmo assim, ele está focado na medalha. E não apenas na pan-americana. “Isso me dá experiência e bagagem para quando chegar a Olimpíada.”

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-AmericanosTiro com arco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.