No vácuo dos líderes

A BMW conquistou em 2008 a sua primeira pole e vitória na F1. Aproveitando-se dos deslizes das rivais e com o bom desempenho de Kubica, a equipe alemã conseguiu liderar o Mundial de Pilotos após o GP do Canadá, ficar à frente no de Construtores depois da prova no Bahrein, e se manter com chances matemáticas de brigar pelo campeonato até o GP da China.O ponto fraco foi a baixa evolução do modelo F1.08, um carro cheio de penduricalhos aerodinâmicos que foi suficiente para andar perto de Ferrari e McLaren, mas incapaz de superá-los.NOVA CHANCE Ocultado pelo companheiro de equipe na primeira metade da temporada, Nick Heidfeld recebeu um ultimato. Se não melhorasse o desempenho, sairia do time no fim do ano. Apresentando uma ligeira evolução, ele ganhou nova chance de tentar a primeira vitória na carreira em 2009.REVELAÇÃO O piloto que seria contratado por Alonso, caso o espanhol tivesse uma equipe de F1, levou em 2008 aquilo que para o cinema seria o Oscar de ator coadjuvante. Mesmo com um carro limitado, Kubica fez pole, venceu a corrida no Canadá, liderou o campeonato e brigou pelo título até a China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.