Nome de substituto ainda é incógnita no Morumbi

Diretoria admite interesse no português André Villas-Boas, mas já ouviu um 'não'; Muricy e Felipão são sonhos distantes

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h08

Muitos nomes, nenhuma certeza. É nesse estágio que se encontra a procura por um novo técnico após a demissão de Leão. O presidente Juvenal Juvêncio aguarda o retorno do diretor de futebol Adalberto Baptista para retomar as conversas. Embora tenha ouvido "não" de André Villas-Boas, o dirigente tentará uma última investida, mas vê dificuldades em fechar o acordo.

Sem o português na manga, falta consenso com relação a nomes. Juvenal não esconde que seus dois sonhos são Muricy Ramalho e Luiz Felipe Scolari, mas sabe que os treinadores não deixarão Santos e Palmeiras e nem pretende gastar rios de dinheiro com multas rescisórias.

Caso não entrem em um denominador comum, existe a possibilidade de tentar um acerto para o início de 2013, quando os dois estarão sem contrato. A hipótese, no entanto, é remota.

Em conversa com o Estado, um dirigente admitiu que o clube tem errado a mão nas últimas escolhas e que a prioridade dessa vez é acertar com um profissional que desperte confiança na torcida e respeito no elenco.

Em contrapartida, os dirigentes têm recebido dezenas de ligações de empresários oferecendo nomes. "Se eu te mostrasse o meu celular, você veria quantas opções temos à disposição, mas não queremos", afirmou a fonte.

Certo mesmo é que Milton Cruz permanecerá à frente da equipe enquanto um novo nome não for anunciado. O auxiliar afirmou que não foi informado sobre quanto tempo comandaria o Tricolor, mas não se incomoda. "Já fiquei oito meses como interino e levei o time para a Libertadores junto com o Rojas em 2004. Espero que encontrem o técnico o mais rápido possível, para que ele possa ter tempo de trabalhar, mas estou à disposição", afirmou o interino.

Desde que Muricy foi demitido em 2009, cinco técnicos foram degolados e nenhum título foi conquistado. Juvenal sabe que o tom das críticas vai subir caso não contrate um nome de peso e corre para tirar um coelho da cartola. Está difícil. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.