Reprodução / Vídeo BBC
Reprodução / Vídeo BBC

Norte-americano bate recorde mundial de maratona com exoesqueleto

Adam Gorlitsky, paralisado da cintura para baixo, completa Maratona de Charleston após mais de um dia na pista

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2020 | 19h32

O norte-americano Adam Gorlitsky, paralisado da cintura para baixo, quebrou o recorde mundial de maratona com traje de exoesqueleto robótico, na manhã do último sábado, na Maratona de Charleston. Gorlistky completou a prova em 33 horas, 50 minutos e 23 segundos, tempo suficiente para superar o britânico Simon Kindleysides, que havia estabelecido a marca de 36 horas e 46 minutos na Maratona de Londres de 2018.

“Estava tentando quebrar o recorde de Simon há cerca de um ano. E agora que consegui, no segundo em que cruzei a linha de chegada, adquiri um novo nível de respeito por ele e por qualquer um que corra uma maratona usando um traje de exoesqueleto. Não foi fácil, mesmo”, afirmou Gorlitsky à CNN.

O recorde de menor tempo na maratona, no entanto, não é o bastante para o atleta da Carolina do Sul. Ele pretende completar um milhão de passos com seu exoesqueleto em corridas nos Estados Unidos. Para atingir a meta, já participou de aproximadamente 50 corridas ao redor do país.

Gorlitsky ficou paralisado após um acidente de carro em dezembro de 2005, quando lesionou gravemente sua medula espinhal. Depois de dez anos, o norte-americano conseguiu voltar a andar com a ajuda do exoesqueleto robótico, apesar das previsões pessimistas dos médicos. Ele aproveitou a história particular para passar uma mensagem de superação.

“Suas lesões, suas deficiências físicas ou suas adversidades nunca definirão quem você é”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismomaratona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.