Notas frias inundam o clube

A administração Alberto Dualib (1993-2007) deixou o Corinthians ''''inundado'''' de notas fiscais frias, como havia previsto o promotor José Reinaldo Carneiro, do MP, que investiga desvios de dinheiro no clube.Na semana passada, o ''''Estado'''' mostrou que o Corinthians pagou R$ 971 mil por serviços jamais prestados às empresas de consultoria NBL e Goodwill. Outro inquérito policial mostra que o clube pagou por pequenos serviços que, ou nunca foram realizados, ou não foram justificados.Por exemplo: R$ 11 mil com uma transportadora (a nota fiscal não especifica o serviço prestado), R$ 22 mil para uma empresa por ''''gravações em vídeo'''', R$ 5,5 mil pela ''''troca de calhas e rufos'''' numa casa que não pertence ao clube. Também chamam a atenção duas notas fiscias (uma no valor de R$ 3.628,26 e outra de R$ 4 mil), emitidas no mesmo dia, 2 de agosto de 2004.Todos os gastos foram autorizados por Dualib, Nesi Curi (ex-vice-presidente), Carlos Roberto de Mello (ex-vice de finanças) ou Marcos Roberto Fernandes (ex-controller).

Martín Fernandez, O Estadao de S.Paulo

03 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.