Nova chance para os reservas do Palmeiras, em Goiás

Felipão poupa os titulares contra o Atlético, de olho na Sul-Americana. Rival ainda está ameaçado

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2010 | 00h00

Se teve alguém que também vibrou com a classificação do Palmeiras para as semifinais da Copa Sul-Americana foi o Atlético-GO. Afinal, enfrentar um time reserva é sempre melhor do que encarar os titulares. Assim, os goianos recebem o adversário, às 17 horas, ainda lutando para permanecer na Série A do Brasileiro. Já os palmeirenses entram em campo pensando em 2011.

Luiz Felipe Scolari relacionou apenas três titulares para a partida: Márcio Araújo, Danilo e Tinga. O jovem Jean, de 18 anos, foi chamado pela primeira vez para integrar o grupo titular.

No último domingo, os reservas do Palmeiras mostraram bom serviço ao vencer o Guarani por 1 a 0, gol de Leandro Amaro. Apesar de o time e a torcida estarem mais preocupados com a competição internacional, o goleiro Bruno resume o que significa a partida de hoje. "É um jogo que pode definir a vida de muito gente", falou, sabendo que muitos dificilmente vão seguir no clube na próxima temporada - ele mesmo deve ser emprestado para a disputa do Estadual.

O Atlético é um velho conhecido do Palmeiras e sonha em manter a boa fase contra o rival: o eliminou na Copa do Brasil e, no primeiro turno do Brasileiro, aplicou 3 a 0 no Pacaembu.

"Não queremos vingança, mas há uma rivalidade, ninguém gosta de perder", disse Tinga. "Temos a oportunidade de reverter agora. Quero jogar e fazer o meu melhor", declarou, esperando atuar pelo menos alguns minutos. "A gente está indo para ganhar, para mostrar nosso potencial."

O jogo também servirá para o Palmeiras começar a sentir o clima de Goiânia. Na quarta-feira, o time volta ao Serra Dourada, aí sim para o desafio que mais lhe interessa: contra o Goiás, na primeira partida da semifinal da Sul-Americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.