Ricardo Bufolin/Panamérica Press/ECP
Ricardo Bufolin/Panamérica Press/ECP

Nova geração da natação tenta mostrar seu talento no Troféu Maria Lenk

Campeonato terá promessas na piscina, mas também nadadores consagrados na luta por vagas em Mundiais e Pan

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2019 | 04h36

O Troféu Maria Lenk começa nesta terça-feira e vai até domingo no Parque Aquático da Barra, no Rio, reunindo os melhores nadadores do Brasil em busca das vagas para as três principais competições do ano: o Mundial de Esportes Aquáticos, que será disputado em Gwangju (Coreia do Sul), os Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru) e o Mundial Júnior de Budapeste (Hungria).

O torneio terá 396 atletas, entre eles os medalhistas mundiais Bruno Fratus, Etiene Medeiros e Nicholas Santos, e atletas da nova geração que já vêm conquistando ótimos resultados, como Vinicius Lanza, Breno Correia, Caio Pumputis e Fernando Scheffer. O nadador Cesar Cielo, campeão olímpico e mundial, não está inscrito na competição, que terá eliminatórias às 9h30 e finais às 18h.

“Como sempre, a nossa expectativa é grande, tendo em vista todos os resultados que os atletas vêm obtendo ao longo do ano. Acredito que vamos ter excelentes resultados, grandes marcas e vamos conseguir tirar daqui as melhores seleções para representar nosso País”, explicou Gustavo Otsuka, supervisor de natação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Os atletas terão no Troféu Maria Lenk a única oportunidade de garantir vaga na seleção brasileira em 2019, seja para a disputa do Mundial, do Pan ou do Mundial Júnior (para competidores nascidos entre 2001 e 2004 no masculino e 2002 a 2005 no feminino). São 24 atletas no total para o Mundial, com prioridade para preencher as equipes para os revezamentos 4 x 100m livre, 4 x 200m livre e 4 x 100m medley.

“Os critérios foram pensados em cima do que temos de melhor. São os casos dos nossos revezamentos, as provas de velocidade, além de termos alguns bons nadadores nas provas de meio fundo e fundo. Sempre nos baseamos no ranking mundial, buscando o melhor resultado para representar o País”, comentou Otsuka.

O Brasil, principalmente no masculino, tem ótimas possibilidades de brigar pelo pódio nos revezamentos no evento em Gwangju. Por isso a CBDA fará um esforço para mandar sua melhor equipe e espera ótimos tempos na piscina do Maria Lenk, para que o Brasil tenha um time bastante competitivo no principal evento da temporada na Coreia do Sul.

Além das vagas para o Mundial, a competição também vai definir os 36 convocados para os Jogos Pan-Americanos de Lima, que será disputado entre 26 de julho e 11 de agosto – a natação começa apenas em 6 de agosto. Serão 18 homens e 18 mulheres representando o Brasil em um torneio que começa pouco depois do Mundial, que será realizado de 12 a 28 de julho. Já a seleção júnior terá 16 atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.