Reprodução
Reprodução

Nova imagem mostra tubarão próximo de Mick Fanning

Amigo de Kelly Slater teria visto animal por meio de drone

O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2015 | 10h31

Nesta segunda-feira, uma nova imagem referente ao grande susto pelo qual Mick Fanning passou na praia de Jeffreys Bay, durante a etapa sul-africana do Mundial de Surfe, foi revelada. Um vídeo do canal Fox Sports mostra o tubarão rondando a área onde era disputada a bateria entre o tricampeão mundial e o australiano Julian Wilson momentos antes do ataque.

Em sua conta no Instagram, o norte-americano Kelly Slater, onze vezes campeão mundial. postou uma foto abraçado com Mick Fanning e também revelou que foi alertado sobre o tubarão que habitava o local da prova: 'Eu recebi um email de um amigo, que dizia que claramente tinha visto um tubarão em uma onda, durante as quartas de final, na imagem de uma onda feita por um drone'.

Apesar do ataque, Mick Fanning conseguiu sair ileso, para alívio de todos os competidores e fãs do surfe. Mais tarde, ele contou o que passou por sua cabeça no momento da investida do tubarão: 'Comecei a nadar, a gritar e a avisar a Julian para se mover também, mas ele estava vindo na minha direção.'

'Eu estava nadando e girei' - prossegue Fanning - 'Tive esse pensamento do que aconteceria se ele (tubarão) viesse de novo, então me virei para que pelo menos eu pudesse vê-lo vindo. Antes que eu percebesse o barco estava lá, os jet-skis estavam lá e nós estávamos em segurança', conclui o tricampeão mundial.

Após o enorme susto, a organização da etapa decidiu, em conjunto com os dois finalistas, encerrar as competições na África do Sul. Com isso, Mick Fanning e seu compatriota Julian Wilson receberam os 8.000 pontos referentes ao segundo lugar. O brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho, permanece na liderança do campeonato mundial. Adriano tem 33.200 pontos, contra 32.950 de Fanning, e 31.450 de Julian.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.