Nova oferta por Ganso deve alcançar R$ 15 milhões

Santos recusa primeira proposta do Tricolor, de cerca de R$ 11 milhões, mas não encerra as negociações

O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2012 | 03h03

O São Paulo acredita ter encontrado a oferta que dobrará o Santos e convencerá o rival a liberar Paulo Henrique Ganso. O Tricolor pretende oferecer nos próximos dias R$ 15 milhões mais o lateral Juan em definitivo para sacramentar a negociação e adquirir os 45% dos direitos que pertencem ao clube (os outros 55% são do Grupo DIS). Ontem, à noite, o Santos recusou R$ 11 milhões, valor da primeira proposta feita pelo São Paulo.

De acordo com um diretor do clube do Morumbi, o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, está "quase aceitando" a oferta, mas só deve responder nos próximos dias, uma vez que está com a delegação santista no Chile para o jogo da Recopa Sul-Americana (leia mais pág.2).

A primeira aproximação entre São Paulo e Santos foi feita ontem à tarde após uma reunião entre o presidente Juvenal Juvêncio, o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes e o diretor de futebol Adalberto Baptista que resultou numa oferta inicial de R$ 11 milhões, valor que não agradou aos santistas.

Nenhum atleta foi incluído na primeira aproximação, que teve como objetivo principal sondar a seara santista para avaliar a receptividade a uma negociação. "É um jogador que interessa ao São Paulo, vocês (imprensa) já sabiam disso pelas próprias declarações do presidente (do Santos) Luis Alvaro. Formalizamos uma proposta escrita conforme ele havia pedido e vamos aguardar uma resposta. Estou otimista", afirmou Adalberto.

O Santos, por meio de um comunicado oficial, garantiu "que recebeu, na tarde desta terça-feira (ontem), por e-mail, proposta oficial do São Paulo pelo atleta Paulo Henrique Ganso. A oferta estava muito longe de atender aos interesses do Santos, que prontamente respondeu de forma negativa à proposta."

Estratégia. O intuito do Tricolor era mesmo de sondar o terreno para avaliar a receptividade do clube com a possibilidade de negociação. Antes absolutamente contrário a perder o meia, o Santos já aceita negociá-lo.

A reunião de ontem serviu também para convencer Juvenal Juvêncio de que vale a pena investir no meia. O presidente tinha dúvidas sobre o retorno que Ganso poderia dar em campo por achar que falta nele o espírito "guerreiro". Pesa para o desfecho positivo a péssima relação entre o jogador e o Santos. Ele recebe cerca de R$130 mil mensais e gostaria de um salário de R$ 500 mil, valor superior ao teto do São Paulo. No entanto, pode ter um salário no mesmo patamar de Luis Fabiano - pouco mais que R$ 400 mil. / F. F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.