Nova reviravolta no atletismo: ouro é tirado de corredor cubano

O corredor cubano Dayron Robles perdeu a medalha de ouro e a glória conquistadas nesta segunda-feira no Campeonato Mundial de atletismo, em uma reviravolta tão dramática como a da eliminação do jamaicano Usain Bolt na corrida dos 100 metros na noite anterior.

OSSIAN SHINE, REUTERS

29 de agosto de 2011 | 13h38

O detentor do recorde mundial nos 100 metros com barreiras foi desclassificado por causa de uma disputa física na pista com o chinês Liu Xiang na prova final.

Robles chocou-se com Liu numa corrida épica entre os três mais rápidos corredores dessa categoria em todos os tempos - o norte -americano David Oliver terminou em quinto - e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar, à frente de Jason Richardson, também dos EUA.

No entanto, o chinês protestou e o juiz deu a medalha de ouro a Richardson. Uma apelação do cubano foi rejeitada pelo júri e Richardson manteve o ouro, ficando Liu com a prata e o britânico Andy Turner com o bronze.

Robles deixou o estádio sem fazer comentários.

"Robles me atingiu duas vezes, no nono obstáculo ele me empurrou, mas não foi intencional", disse o ex-campeão olímpico Liu a repórteres. "Se não fosse o incidente, eu seria medalhista de ouro." Liu declarou que é amigo de Robles.

Richardson afirmou: "A reação é agridoce. Estou desapontado por ter ganho por uma tecnicalidade. Eu gostaria que em circunstâncias diferentes ele pudesse manter a medalha, mas regras são regras."

"Tudo pode acontecer nas competições de pista se você faz o melhor e se mantém em sua faixa."

O drama era exatamente o que a competição precisava para dispersar uma melancolia que, como as montanhas sempre presentes de Daegu, pairava sobre o estádio depois de Bolt ter perdido sua coroa na corrida dos 100 metros.

Vítima da regra de que "quem dá largada falsa está fora", Bolt foi eliminado no domingo à noite e seu conterrâneo, Yohan Blake, venceu a competição, num grande anticlímax.

O homem mais rápido do mundo demorou para responder à desclassificação. Esperou cerca de 18 horas para emitir um comunicado, mas disse muito pouco. Mas o que ele disse sobre uma regra talvez muito dura?

"Em primeiro lugar, gostaria de cumprimentar meu colega de equipe Yohan Blake e os outros atletas que ganharam medalhas", afirmou no comunicado. "Claro que estou extremamente desapontado por não ter tido a chance de defender meu título por causa da largada falsa."

"No entanto, tenho de seguir em frente já que não há sentido em estender-se sobre o passado", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
ATLETISMOCORRIDAROBLES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.