Nova secretária-geral da Fifa anuncia ex-jogador do Milan em diretoria

Cerca de duas semanas após ser designada como nova secretária-geral da FIFA, a senegalesa Fatma Samba Diouf Samoura conheceu seus funcionários na sede da entidade nesta segunda-feira. E, em discurso na sede em Zurique, a primeira mulher a assumir este cargo anunciou suas diretrizes no novo emprego e dois reforços para a diretoria da Fifa. Um deles será o ex-meia Zvonimir Boban, destaque da seleção da Croácia e do Milan na década de 90.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

30 de maio de 2016 | 16h19

Samoura, que fez carreira na ONU, contará com dois subsecretários, uma novidade na estrutura da Fifa. Antes, havia apenas um. O último deles foi o alemão Markus Kattner, demitido na semana passada após investigação interna revelar que ele recebera pagamento irregular de bônus no valor de milhões de dólares.

A nova secretária-geral afirmou que sua administração será dividida em dois "pilares": um comercial e administrativo e outro voltado somente ao futebol. Boban, dono de quatro troféus do Campeonato Italiano e um da Liga dos Campeões, será responsável pelo segundo "pilar".

"Com o objetivo de alcançar nossos objetivos, decidimos introduzir uma estrutura aperfeiçoada para tornar a Fifa mais eficiente, com capacidade de desenvolver o futebol em qualquer lugar. Assim, a administração da Fifa será dividida em dois pilares: um voltado para gerar retorno financeiro e administrar o trabalho operacional e outro focado no desenvolvimento do futebol e na organização de competições", explicou Samoura.

Enquanto Boban cuidará dos assuntos esportivos, o suíço Marco Villiger vai assumir a função administrativa sob o comando de Samoura. Villiger já era funcionário da Fifa antes da senegalesa ser apontada como nova secretária-geral. Ele ocupava a função de diretor jurídico da entidade.

De acordo com a Fifa, Samoura se disse comprometida com reformas na entidade para coibir a corrupção que vem abalando a imagem da entidade desde a prisão de sete cartolas, em maio do ano passado, na Suíça.

"É minha meta colocar em execução reformas para ajudar a Fifa em seu processo de ser reconhecida como instituição que é gerida com base em princípios de boa governança e que possa ser motivo de orgulho das pessoas", afirmou a senegalesa em evento que não contou com a participação da imprensa, nesta segunda. Samoura vai assumir oficialmente seu cargo no dia 20 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.