Wilton Júnior/AE - 28/09/2009
Wilton Júnior/AE - 28/09/2009

Nova sede da CBF está tão atrasada quanto estádios

Entidade prega rigor às cidades-sedes, mas faz um ano que projeto de sua própria casa não sai do papel

Sílvio Barsetti, Bruno Lousada / RIO, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2010 | 00h00

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Fifa sempre se preocuparam com o prazo, adiado três vezes, para o início das obras dos 12 estádios da Copa do Mundo de 2014. Mas o atraso começa dentro de casa. Lançado há exatamente um ano, em 28 de setembro de 2009, com direito à pedra fundamental e presença do presidente da Fifa, Joseph Blatter, o novo centro de treinamento da seleção brasileira ainda não saiu do papel.

A previsão era de que o centro, na verdade um complexo esportivo, próximo ao Riocentro, na Barra da Tijuca (zona oeste), começasse a ser erguido nos primeiros meses deste ano. Mas no local o que há é pântano, terra e muito mato. Nem mesmo a pedra fundamental está lá.

O terreno de 130 mil metros quadrados vai abrigar a nova sede da CBF, um hotel para servir de concentração para os jogadores e um museu do futebol, além de dois ou três campos oficiais de treinamento. O total do empreendimento está orçado em R$ 80 milhões.

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, culpou a "burocracia" pela demora em tocar o projeto. "Levou um ano para legalizar a documentação, pois todos os terrenos da Barra da Tijuca são contestados. Logo, não posso erguer um prédio e depois me tomarem", explicou Teixeira, em encontro recente com o Estado.

Ele já confirmou que o local vai servir de concentração para a seleção brasileira durante a Copa de 2014. Com isso, a Granja Comary, em Teresópolis, passaria a receber apenas as seleções femininas e de base.

Copa das Confederações. A ideia da CBF é inaugurar o complexo em 2012, para que já seja utilizado pela seleção na Copa das Confederações, em 2013.

Na festa do ano passado, além de Blatter e Teixeira, estiveram no terreno o prefeito e o governador do Rio, Eduardo Paes e Sergio Cabral, o ministro do Esporte, Orlando Silva, e o presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Nicolas Leoz. Todos posaram para fotos em torno da pedra fundamental.

A área estava, naquela oportunidade, cercada por tapumes e toldos e algumas instalações improvisadas para receber os convidados. O então técnico da seleção, Dunga, também prestigiou o evento.

Hoje a parte administrativa da CBF ocupa um andar inteiro de um prédio que fica numa área nobre da Barra. O custo mensal com esse aluguel é superior a R$ 100 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.