Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Novatos e veteranos brigam por vaga na piscina no Troféu José Finkel

Competição, que tem início nesta sexta-feira em São Paulo, é seletiva ao Mundial e será prévia da disputa entre gerações por vagas na Olimpíada

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S. Paulo

24 Agosto 2018 | 05h20

O Troféu José Finkel terá início hoje no Clube Pinheiros, em São Paulo, com novidades. Pela primeira vez, a segunda maior competição da natação nacional será a única seletiva para o Mundial de piscina curta de Hangzhou, China, em dezembro. Além disso, o torneio vai escancarar o duelo de gerações na seleção brasileira, numa prévia do que será a briga por vaga nos Jogos de Tóquio, em 2020.

Maior nadador da história do País, Cesar Cielo voltará a competir após ficar fora do Pan-Pacífico. Ele terá trabalho para superar os representantes da nova geração. O atleta de 31 anos vai encarar jovens como Pedro Spajari (21 anos), Gabriel Santos (22) e Marco Antonio Ferreira (20), um trio que já registrou tempos melhores do que ele nos 100 metros livre neste ano. 

Spajari vem sendo um dos destaques do Pinheiros e da seleção. É dele o terceiro melhor tempo dos 100m livre da temporada (47s95). Também superou Cielo nos 50m livre, prova que é a especialidade do recordista mundial. O nadador não correspondeu às expectativas no individual no Pan-Pacífico, mas brilhou no revezamento 4x100m livre que faturou o ouro.

“A expectativa só aumentou depois do resultado incrível que tivemos no revezamento”, admite Spajari, que nadará os 50m, 100 m e 200m livre na piscina de 25 metros no José Finkel. E ele já avisou: “Agora que entrei na seleção, não quero mais sair. Quero entrar em todas as equipes que tiver, vou treinar muito e brigar para levar o meu nome para o mundo”.

Para tanto, Spajari e seus jovens companheiros terão de superar medalhões como o próprio Cielo. O recordista dos 50m e 100m livre visa desempenho discreto. Não estará no borboleta nem no costas. “Minha ideia é nadar os revezamentos com o Brasil e tentar vaga nos 50m livre. A prova dos 100m, a princípio, só vou pelo revezamento”, admite o nadador.

Nas piscinas do Pinheiros, num breve treino que o [BOLD]Estado[/BOLD] acompanhou, Cielo dividia as atenções com Spajari e Gabriel Santos, seus amigos e novos rivais. No Finkel, eles serão parceiros no poderoso revezamento do time da casa, mas também oponentes nas individuais. 

Enquanto não decide o seu futuro, o campeão olímpico em Pequim-2008 ajuda no crescimento dos jovens nadadores do País. “Aprendo muita coisa com ele. Cielo não está ali só para fazer o dele e sim para nos ajudar também”, diz Spajari. “O Cesão é muito técnico e tenta passar um pouco disso para a gente. É muito bom estar do lado de um cara tão experiente.”

Cielo terá a companhia de outros veteranos na piscina, como Nicholas Santos, de 38 anos, e Felipe França, de 31. Ambos são donos de medalhas em Mundiais de piscina curta e longa. 

“Os medalhões só vão entrar no Mundial se ganharem da molecada”, avisa Renato Cordani, diretor-geral de esportes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

A entidade quer levar 20 nadadores para o Mundial de Hangzhou, apesar das restrições orçamentárias. A CBDA continua com contas bloqueadas na Justiça em razão de investigação de corrupção na gestão anterior.

 

Volta de Etiene

Bicampeã mundial nos 50m costas em piscina curta, Etiene Medeiros fará seu retorno às grandes competições, totalmente recuperada de cirurgia no ombro. Ela também nadará os 100m costas e os 50m livre no José Finkel.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.