Novo campeão dos pesados acusa equipe de Klitschko de ser 'trapaceira'

O novo campeão dos pesos pesados do boxe, britânico Tyson Fury, acusa a equipe do ucraniano Wladimir Klitschko, a quem venceu no sábado, de ser trapaceira. Em entrevista nesta segunda-feira, o novo detentor dos cinturões da Associação Mundial, da Federação Internacional e da Organização Mundial de Boxe disse que se recusou a beber água no ginásio de Dusseldorf, na Alemanha, onde ocorreu o combate.

Estadão Conteúdo

30 de novembro de 2015 | 18h02

"Tinha boa informação, de fontes seguras, de que não deveria tocar em nada nos vestiários porque poderiam tentar me drogas. Foi para casa desidratado antes de tocar em algo. Estava muito aterrorizado de ser submetido a testes antidoping e falhar neles", disse Tyson em sua chegada à Inglaterra.

Ele reclamou que a equipe de Klitschko tentou de tudo para desestabilizá-lo. Afirmou que foi colocado no peso errado no momento da pesagem e que a luta quase foi cancelada porque não havia espuma suficiente embaixo da superfície do ringue. "São trapaceiros, extremamente bons fazendo trapaça", criticou. "Teve pequenas coisas que eles pensaram que me afetariam, como aconteceu com outros lutadores no passado, mas nenhum deles disse".

Como existe uma cláusula de revanche no combate entre os dois, Fury e Klitschko podem voltar a se enfrentar em breve. "Não acho que ele possa fazer muito melhor. Ele vai analisar (a possibilidade de lutar), é um cara inteligente. Mas se imagina que tem chance de novo, vamos lá. Round dois, ''ding, ding''", provocou o britânico.

Apesar do discurso provocativo, ele chegou a uma entrevista coletiva nesta segunda, em Bolton, dirigindo o próprio carro e calçando sandálias. Uma possível revanche é especulada no Estádio de Wembley, em maio.

O triunfo de sábado, que foi determinado por decisão unânime dos jurados, encerrou um reinado de 11 anos de Klitschko como detentor dos cinturões da WBA, IBF e WBO (nas siglas em inglês) do boxe. Aos 39 anos de idade, o veterano ucraniano acabou derrotado por um rival de 27, que agora passou a ostentar um cartel invicto de 25 vitórias em 25 combates, sendo 18 delas conquistadas por nocaute.

O inglês acabou sendo coroado ao ser mais agressivo do que Klitschko, que voltou a mostrar o seu estilo "robótico" de boxear e pouco conseguiu agredir o seu adversário. Ao fim do combate, o ucraniano afirmou que "uma revanche será inevitável, sem dúvida nenhuma".

Tudo o que sabemos sobre:
boxeWladimir KlitschkoTyson Fury

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.