Novo impasse ameaça a luta de Popó

Campeão mundial da categoria superpenas pela Organização Mundial de Boxe (OMS), o baiano Acelino ?Popó? de Freitas está novamente com problemas fora do ringue. Desta vez, o desentendimento é com o empresário mexicano Ricardo Maldonado, que gerencia as suas lutas no Exterior. Esse nova crise ameaça até a luta do pugilista brasileiro com o cubano Joel Casamayor, pela unificação do título, marcada para dia 25 de agosto.Popó admitiu, com exclusividade para a Agência Estado, que não gostou da proposta feita por Ricardo Maldonado na semana passada, que o obrigaria a realizar oito lutas. Entre elas estaria o combate com Casamayor, marcado inicialmente para 14 de julho, mas que foi adiado para 25 de agosto. "Acho que essa data não vai dar não", revelou o pugilista, informando que o principal obstáculo é a questão financeira. "Ele (Maldonado) fez uma proposta que nem dá para respeitar, não é uma proposta correta para um pugilista campeão do mundo", explicou.O pugilista baiano reclamou da postura do empresário, que passou rapidamente por Salvador na semana passada e nem se dispôs a negociar. Na oportunidade, Maldonado colocou Popó "contra a parede", anunciando que se ele não aceitasse as bases do novo contrato não haveria mais a luta da unificação com Casamayor. Além disso, o mexicano ainda provocou: "É uma cifra milionária". Popó não gostou da atitude do empresário. "Quem tem boca fala o que quer", reagiu o pugilista, assegurando que não aceita pressões. "A gente já está acostumado com essas pressões", garantiu o campeão dos superpenas, declarando que se não fechar com Maldonado, "empresário é que não falta" para gerenciar sua carreira no Exterior.Popó também estuda retornar à sua antiga categoria, de peso leve (61 quilos e 200 gramas). "É uma possibilidade que vejo com carinho, pois foi no leve que comecei minha carreira e é uma faixa que não é tanto sacrificante para se manter no peso", contou. Os próximos dias serão decisivos para a carreira do pugilista. Ele quer definir a situação com Maldonado e programar uma luta preparatória antes de realizar a unificação do título."Lutei pela última vez em janeiro. Não posso ficar só treinando", reclamou. Em maio, Popó cancelou uma luta que faria nos Estados Unidos com o húngaro Lazlo Bognar, que seria preparatória para o combate com Casamayor. Na ocasião, o pugilista brasileiro alegou problemas psicológicos, que aparentemente foram resolvidos após o seu casamento com a empresária Eliana Guimarães, realizado no mês passado.

Agencia Estado,

11 de junho de 2001 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.