Novo menino da Vila, Felipe Anderson

ESPECIAL PARA O ESTADO

Sanches Filho / SANTOS, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2011 | 00h00

Jovem promessa, mas com defeito de "fabrica", ou o cara da nova geração santista? Cinco meses depois de completar 18 anos, Felipe Anderson é considerado por Muricy Ramalho um jogador de talento, veloz e que bate bem na bola, mas que precisa ter mais vontade, enquanto Neymar é só elogios para o seu companheiro de juvenil, em 2007.

Felipe Anderson substituiu Adriano no segundo tempo do jogo contra o Avaí, quarta-feira, quando o Santos perdia por 1 a 0 e não conseguia superar as poças d''água e a marcação adversária. Mas, em cinco minutos, o reserva achou a solução. Primeiro ao servir Borges para empatar a partida e, cinco minutos depois, ao marcar o gol da vitória.

"A próxima geração do Santos é desse moleque aí. Eu sempre falo para ele ir para cima e confiar no seu futebol", disse Neymar. Quem acompanha a base santista acredita que Felipe Anderson é um jogador em formação, mas com qualidade para entrar no time nas ausências de Ganso por contusões. Ontem, ele concordou com as críticas de Muricy. "Vou procurar ouvir e fazer o que o professor me pede. Mas, sou novo e só com o tempo vou conseguir aperfeiçoar o que ele diz que está me faltando".

Para Muricy, ele também é meio desligado e não gosta de entrar na área. "Felipe tem bons fundamentos, velocidade e bom chute, mas precisa se impor, porque o lado psicológico é decisivo no futebol", observou o técnico. "Vou deixá-lo forte",

Um mês fora. Ganso sofreu lesão de grau dois no músculo posterior da coxa esquerda e desfalca o time de quatro a seis semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.