Novo presidente da agência antidoping explicará metodologia

O australiano John Fahey, novo presidente da Agência Mundial Antidoping (AMA), realizará nesta quarta-feira um encontro para explicar sua metodologia de trabalho em Lausanne, na Suíça. Também participarão do seminário o neozelandês David Howman, diretor-geral da AMA, e o francês Alain Garnier, diretor médico do organismo. No Museu Olímpico da cidade suíça, Fahey falará sobre como liderar a luta contra o doping, enquanto Howman explicará as recentes mudanças no Código Mundial. Já Garnier apresentará o Passaporte Biológico, documento que refletirá o perfil médico dos atletas. Um dos assuntos que ainda tem de ser resolvidos pela AMA é se os esportistas punidos por doping podem participar dos treinamentos de suas equipes. A agência defende o afastamento total, mas as federações buscam uma medida mais flexível. Até o início dos Jogos de Pequim, a AMA ficará responsável por coordenar os exames surpresa com as federações internacionais. A partir da cerimônia de abertura, quem assume é o Comitê Olímpico Internacional (COI), cuja intenção é realizar 4.500 testes, 25% a mais que nos Jogos de 2004, em 2004. A eleição de Fahey, em novembro, esteve cercada de polêmica pela negativa dos países europeus a apoiá-lo. A AMA é financiada em partes iguais pelos organismos públicos e esportivos. Fahey, ex-ministro das Finanças da Austrália, substituiu o canadense Richard Pound, membro do COI. 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.