Pedro Martins/MoWA Press
Pedro Martins/MoWA Press

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Novo titular da seleção, Giuliano relembra longa amizade com Tite

Jogador ganhou a vaga deixada pela suspensão de Paulinho

Ciro Campos, enviado especial a Natal, Estadão Conteúdo

04 Outubro 2016 | 20h32

Sete anos depois do primeiro contato, o meia Giuliano virou o titular do técnico Tite na seleção brasileira. No treino da equipe nesta terça na Arena das Dunas, em Natal, para enfrentar a Bolívia pelas Eliminatórias, o jogador ganhou a vaga deixada pela suspensão de Paulinho e relembrou o quanto a escolha significa uma coincidência na carreira, por ter sido propiciada pelo mesmo treinador que o levou ao Inter.

Em meados de 2009, então com 20 anos, o meia se destacava no Paraná e foi contratado para o clube gaúcho, dirigido por Tite. "Quando você trabalha com o treinador e ele na sequência assume a seleção, realmente passa na tua cabeça que você tem uma possibilidade maior de ser convocado. Fiquei muito feliz e honrado. Quase tive a possibilidade de ser treinado por ele no Corinthians", contou o jogador nesta terça.

No treino da tarde, pela primeira vez Tite fez atividade tática com a seleção. Giuliano foi uma das três mudanças na formação titular, mas sabe ser difícil tirar o lugar de Paulinho. O volante do Guangzhou Evergrande, da China, tem moral com o técnico desde os tempos de Corinthians e foi convocado para essas duas rodadas mesmo sem poder atuar com a Bolívia, por ter de cumprir suspensão.

"Estou tranquilo e consciente que sou um jogador da confiança do Tite. Ele confia em mim, posso ser o substituto do Paulinho nesse jogo. É a oportunidade da minha vida. Se estou aqui, é porque posso ser importante para essa seleção", explicou o meia do Zenit, da Rússia.

As outras novidades no time titular foram as entradas de Philippe Coutinho, Filipe Luís e Fernandinho. A provável formação do Brasil para enfrentar a Bolívia deve ser: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Fernandinho, Giuliano, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.