Novos recordes e índices na natação

Depois de passar por vários problemas em 2001 - de dengue ao atraso de salários no Vasco -, Fabíola Molina fecha o ano com o índice para o Mundial de Piscina Curta, em Moscou, em abril de 2002. Nesta sexta-feira, em mais um dia de recordes e índices no Troféu José Finkel, em Santos, Fabíola marcou 1min01s30 para os 100 metros, costas. Não venceu a prova - a campeã foi a uruguaia Serrana Fernandes, da Unaerp, de Ribeirão Preto, com 1m01s22 -, mas garantiu a vaga.Depois, Rogério Romero (53s83), do Minas Tênis, e Cleber Costa (53s67), do Flamengo, conquistaram o índice (53s84) nos 100 m, costas. Romero já tinha obtido vaga para os 200 m, costas, na Copa do Mundo de Natação, em novembro.Aos 18 anos, Caio Moretzshon, do Vasco, é o 24º atleta com índice para o Mundial. Nesta sexta-feira, Caio nadou os 200 m, medley, em 2min01s19, abaixo do índice da prova, de (2min01s74).No revezamento 4 x 200 m, livre, a equipe masculina do Vasco levou a medalha de ouro, com 7m13s57, e a vaga para Moscou - o índice é 7min16s64. No entanto, isso não significa que Carlos Jayme, Gustavo Borges, Alexandre Andrade e Leonardo Costa sejam os titulares na prova - a equipe será formada pelos quatro mais rápidos na prova individual.Nos 50 m, livre, Nicholas Dias dos Santos marcou 21s79 e, além de conseguir o índice para Moscou, tornou-se o terceiro brasileiro - ao lado de Gustavo Borges e Fernando Scherer, o Xuxa - a nadar a distância abaixo de 22 segundos. O recorde sul-americano ainda pertence a Xuxa, com 21s44, estabelecido no Rio, em 1998.Recordes - A equipe feminina do revezamento 4 x 200 m, livre, marcou 8min13s27 e superou o recorde sul-americano. O time formado por Denise Oliveira, Mariana Brochado, Alessandra Reis e Monique Ferreira derrubou o tempo de 8min18s87, que pertencia à seleção brasileira que disputou o 5º Mundial em Piscina Curta, em Atenas, no ano passado.Flávia Delaroli, do Flamengo, voou nos 50 m, livre. Com 25s06, a atleta bateu o recorde sul-americano de Rebeca Gusmão, do Vasco (25s27), obtido na Copa do Mundo da Natação. Flávia e Rebeca vêm se revezando como recordistas sul-americanas há seis meses. A atleta do Flamengo também conquistou o índice para o Mundial na prova, depois de já ter a marca para os 100 m, livre.O número de atletas com índice em provas individuais para o Mundial de Moscou animou os dirigentes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). "É sabido que a CBDA não estabelece índices fáceis. Esses tempos representam o oitavo lugar, entre eliminatórias e semifinais, do último Mundial em Piscina Curta, em Atenas, em 2000", observou Coaracy Nunes, presidente da entidade.Segundo o supervisor técnico da Confederação, Ricardo de Moura, o próximo Mundial será um referencial para os Jogos Olímpicos de 2004. "É muito importante a participação desses atletas na competição. Vamos poder analisar os resultados do Brasil e dos demais países."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.