Wagner Carmo/CBAt
Wagner Carmo/CBAt

Nubia Soares obtém índice para o Mundial de Atletismo no salto triplo

Melhor saltadora do Brasil atinge marca de 14,28 metros no Meeting Ibero-Americano

Redação, Estadão Conteúdo

20 de junho de 2019 | 22h06

A brasileira Nubia Aparecida Soares conquistou nesta quinta-feira o índice para o Mundial de Atletismo, que será realizado em Doha, na disputa do salto triplo ao atingir a marca de 14,28 metros no Meeting Ibero-Americano, realizado em Huelva, na Espanha.

O resultado é o melhor da saltadora mineira em 2019, mas a deixou fora do pódio, na quarta posição. Ela já liderava o ranking brasileiro no ano, com 14,15m, e foi convocada para disputar os Jogos Pan-Americanos em Lima.

A disputa foi vencida pela venezuelana Yulimar Rojas, campeã mundial em 2017, que quebrou o recorde pessoal com 15,06m, que também é a melhor marca do salto triplo na temporada. A cubana Liadagmis Povea ficou com a medalha de prata, com 14,45m, seguida pela espanhola Ana Peleteiro, bronze, com 14,33m.

No lançamento do disco, Andressa de Morais foi a terceira colocada, com 63,90m, à frente da também brasileira Fernanda Borges, com 62,01m. Ambas ratificaram os índices atingidos para o Mundial de Doha e terminaram a disputa em Huelva atrás das cubanas Denia Caballero e Yaimé Pérez medalhistas de ouro e de prata, com 69,20m e 67,27m, respectivamente.

No salto em distância, Eberson Matucari conquistou o bronze, com 7,56m. O cubano Maykel Demetrio Masso levou o ouro, com 7,83m, seguido do chinês Zhang Yaoguang, com 7,78m.

OSTRAVA

Também nesta quinta-feira, no Meeting de Ostrava, o brasileiro Augusto Dutra ratificou os índices para o Pan de Lima e para o Mundial de Doha ao atingir 5,71m na disputa do salto com vara, o que lhe garantiu a terceira posição. Ele foi superado pelo norte-americano Sam Kendricks, campeão com 5,93m, e pelo polonês Piotr Lisek, medalhista de prata com 5,71m em menos tentativas do que o brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.