Nuzman inicia lobby olímpico pelo Rio

O jogo político a favor da candidatura do Rio na escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2012 teve nesta terça-feira seus primeiros movimentos realizados pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. Em um telefonema para o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, o dirigente brasileiro o convidou para visitar o País. Já ao prefeito carioca Cesar Maia recomendou visitas a Atenas e Pequim. Na conversa com o presidente do COI, Nuzman relatou o processo de escolha que culminou na vitória do Rio sobre São Paulo. O dirigente belga demonstrou satisfação com a candidatura brasileira e aceitou o convite para visitar o País, ainda neste ano. Quanto ao prefeito do Rio, a intenção é a de que ele visite Atenas, onde serão realizados os próximos Jogos Olímpicos, e Pequim, que receberá a competição em 2008, com o objetivo de conhecer o trabalho realizado e demonstrar interesse pelo evento. Em seguida, Nuzman explicou que até o dia 16 o COI enviará para as cidades aspirantes aos Jogos de 2012 um dossiê contendo suas recomendações iniciais. Além disso, um seminário será realizado para as cidades, em outubro, na sede do COI, em Lousane, na Suíça. Já estão na disputa com o Rio, as cidades de Havana, Istambul, Leipzig, Londres, Madri, Moscou, Nova York, e Paris. O COI estuda a possibilidade de realizar um seminário com as cidades candidatas, em outubro próximo. A decisão acontece em 2005. Reunião - Em uma iniciativa inédita no Brasil, o COB reuniu nesta terça-feira cerca de 250 atletas que estarão disputando os Jogos Pan-Americanos da República Dominicana, em agosto. A reunião aconteceu por meio de uma videoconferência e seus participantes estavam distribuídos pelas cidades de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Presidente Prudente, São Paulo e Rio de Janeiro. A intenção do COB foi a de mostrar aos atletas a real situação das instalações em Santo Domingo. ?Vocês (atletas) vão encontrar algumas instalações fantásticas e outras em piores condições. O que eu não quero é que nenhum atleta diga que se soubesse como seria o Pan, ele não teria participado?, frisou Nuzman. Após a exibição de fotos dos locais de competição e das acomodações do Brasil no Pan-Americano, os atletas tiveram a oportunidade de sanar suas dúvidas. As principais foram sobre os dias de embarque rumo a Santo Domingo e a possibilidade de usar material esportivo de outras marcas, além do fornecido pelo patrocinador oficial do COB. À tarde, Nuzman se reuniu com os 46 chefes de equipes que estarão à frente dos atletas brasileiros no Pan 2003. Na ocasião, foi detalhada todo o procedimento do COB em Santo Domingo e acertado os últimos detalhes sobre a participação de cada modalidade. E para proporcionar maior conforto à delegação de cerca de 725 pessoas, sendo 500 atletas, o COB informou que alugou 144 aparelhos de ar-condicionado. O custo do investimento foi de US$ 57,6 mil.

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.