Jonny Roriz/10/12/2007
Jonny Roriz/10/12/2007

O Brasil tem medalhas apenas entre os nadadores homens

Natação do País tem 13 pódios na história dos Jogos Olímpicos, mas sempre com rapazes. Melhor resultado feminino é um 5ª lugar

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2013 | 14h26

SÃO PAULO - Os nadadores brasileiros tentam fazer história nos Jogos Olímpicos desde 1920, quando o País teve sua primeira participação na modalidade, mas só a partir de 1952 nossos atletas começaram a ganhar medalhas dentro das piscinas, mesmo com longos anos de jejum entre as edições.

Até hoje são 13 medalhas conquistadas, todas pelo masculino. A grande distorção vem desde o início, pois as mulheres foram representadas 12 anos depois da estreia masculina: foi Maria Lenk, de 17 anos, e que já foi recordista mundial. Ela nadou na edição de Los Angeles, em 1932, sendo a única da delegação brasileira e a primeira mulher sul-americana a competir nos Jogos .

Na edição seguinte, em 1936, Piedade Coutinho ficou na 5.ª colocação nos Jogos de Berlim nos 400 m livre. Até hoje essa é a melhor classificação feminina do Brasil na natação, ao lado de Joanna Maranhão, que também ficou em 5.º lugar nos 400 m medley na Olimpíada de Atenas, em 2004. Em 1952, em Helsinque, veio a primeira medalha, um bronze, com Tetsuo Okamoto nos 1.500 m livre. Ele chegou atrás do norte-americano Ford Konno e do japonês Shiro Hashizume.

Após a primeira medalha, veio uma sequência de dois bronzes, com Manoel dos Santos Júnior em 1960 (Roma) e o revezamento 4 x 200 m livre, em 1980 (Moscou). Quatro anos depois, Ricardo Prado elevou o patamar ao conquistar a heroica prata nos 200 m medley, em Los Angeles. Já na edição de Barcelona (1992), Gustavo Borges ganhou a primeira de suas quatro medalhas olímpicas nos 100 m livre: prata. Em 1996, repetiu a dose com um bronze na mesma prova e uma prata nos 200 m livre. Ainda em Atlanta, Fernando Scherer, o Xuxa, faturou o bronze nos 50 m livre.

Em 2000 o revezamento 4 x 100 m, contando com Borges e Xuxa, garantiu um bronze. Oito anos depois o mundo conheceu Cesar Cielo, que vibrou com o primeiro ouro da história da natação brasileira. Além do lugar mais alto no pódio nos 50 m livre, ele também foi bronze nos 100 m livre em Pequim. Na última edição, em Londres, Cielo ficou com o bronze nos 50 m livre e Thiago Pereira deixou Michael Phelps para trás, garantindo a prata nos 400 m medley.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.