''O Brasil vai longe, como a gente''

MARCOS SENNA, Jogador brasileiro, NATURALIZADO ESPANHOL, É NOME CERTO NO TIME EUROPEU NA COPA

PAULO FAVERO, O Estadao de S.Paulo

14 de março de 2010 | 00h00

Você está ansioso pela divulgação da lista para a Copa?

Se falar que não é mentira. Sorte que ainda falta tempo, mas quando a data estiver se aproximando, vai piorar.

Dificilmente você ficará fora...

O treinador tem bem claro qual é o grupo, a não ser que alguém se machuque. Pelas entrevistas e por causa da última convocação, a impressão que tenho é que vou.

O Xavi disse que a Espanha não é favorita ao Mundial, pois nunca venceu. Neste caso, a camisa pesa?

Times mais tradicionais, grandes, crescem nessas competições e têm uma história. Mas camisa não pesa. Se não estiver concentrado os 90 minutos, pode perder. Isso ocorre tanto em clubes quanto na seleção.

O que ocorreu na Copa das Confederações, quando A Espanha tinha tudo para fazer a final com o Brasil, mas perdeu na semifinal...

Os Estados Unidos foram superiores, apesar do equilíbrio no confronto. A Espanha sempre tem a posse de bola, mas não foi o caso desse jogo. A seleção não estava tão inspirada, chegou cansada, não estava 100%. Mas isso serviu de experiência.

Quem são os favoritos ao título na África do Sul?

São os grandes, os tradicionais. Vejo a Inglaterra muito forte, o Brasil... As duas devem chegar longe. Assim como a gente.

E a Argentina?

A Argentina eu incluo no mesmo grupo de Itália, Alemanha e França. Todas estão no mesmo nível e é claro que também podem vencer.

Algum africano surpreenderá?

Eu acho que Gana e Costa do Marfim, mas ela deu azar e caiu no grupo do Brasil. Mas pode até ser bom Se classificar na chave, pode ir longe.

Você imagina uma final entre Brasil e Espanha na Copa?

Seria bom. Só o fato de estar na final com o Brasil seria maravilhoso... Mas aí meu coração é espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.