O Chelsea está contra as cordas

Derrota por 3 a 0 para a Juventus em Turim deixou o campeão europeu à beira de cair logo na primeira fase

O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2012 | 02h04

O Chelsea está por um fio na Copa dos Campeões. Com a derrota para a Juventus, por 3 a 0, ontem, o provável rival do Corinthians no Mundial do Clubes não depende mais de si para se classificar no Grupo E.

Isto porque na outra partida o Shakhtar garantiu sua vaga ao golear o Nordsjaelland por 5 a 2 (Willian fez dois e Luiz Adriano anotou três). A atuação do atacante, no entanto, ficou marcada pela falta de fair play. Quando o jogo estava 1 a 0 para o time da casa, o árbitro pediu atendimento médico para um atleta e a posse de bola estava com o Nordsjaelland. No reinício, Willian chutou a bola para a defesa do rival, em sinal de devolução, mas Luiz Adriano dominou-a, avançou, driblou o goleiro que, incrédulo, nem esboçou reação, e empatou. O lance motivou inúmeras reclamações do time e inflamou o público, que vaiou o Shakhtar até o final do jogo.

Na última rodada a Juve visita os ucranianos e precisa de um empate (os dois levam vantagem sobre o Chelsea no confronto direto, o primeiro critério de desempate). Assim, o atual vencedor da Copa dos Campeões pode cair na primeira fase, um terremoto às vésperas do Mundial.

Em Turim, a Juventus começou com uma marcação avançada, tocando a bola com velocidade e criando várias oportunidades. O técnico Roberto Di Matteo barrou Fernando Torres, em péssima fase, e escalou Hazard no ataque, com a aproximação de Oscar. Embora o brasileiro tenha criado os melhores ataques, o Chelsea não tinha poder ofensivo. Chegava, mas não assustava.

Aos 38, Quagliarella desviou o chute fraco de Pirlo, enganou Cech e colocou justiça no placar: 1 a 0. No segundo tempo, o gol da vitória seguiu o mesmo roteiro. Vidal chutou, a bola desviou em Ramires e enganou o goleiro. Giovinco fechou o placar e colocou o Chelsea em xeque.

Barcelona classificado. Com os fáceis 3 a 0 que impôs ao Spartak em Moscou o Barcelona acrescentou vários tópicos à lista de grandes marcas da temporada. A primeira delas - talvez a mais previsível - foi a classificação para as oitavas de final como campeão do Grupo G. No outro jogo do grupo, o Benfica venceu o Celtic por 2 a 1 e está na briga pela segunda vaga.

Messi fez dois tentos e completou 80 na temporada. Está cada vez mais próximo do recorde de gols num ano que pertence ao alemão Gerd Muller, que marcou 85 vezes em 1972. De quebra, o argentino estufou as redes nos 14 países que já visitou na competição. "Não poderíamos deixar que se repetisse o que aconteceu contra o Celtic (derrota por 2 a 1), por isso começamos com um ritmo forte", declarou o melhor do mundo, que divide a artilharia do torneio com Cristiano Ronaldo - cada um tem cinco gols.

O placar foi aberto por Daniel Alves, que aos 16 aproveitou rebatida da zaga e chutou sem deixar a bola cair. Depois disso, só deu Messi. Aos 27, ele aproveitou o rebote do goleiro e fez com o pé direito. Doze minutos depois, inverteu os papéis com Pedro, recebeu belo passe, driblou o goleiro e eliminou o Spartak.

Pelo Grupo F, Valencia e Bayern de Munique empataram por 1 a 1 e garantiram a classificação graças à vitória do Lille sobre o BATE Borisov por 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.