O clima esquenta no Santos

Domingos acerta cotovelada em Kléber Pereira, que abandona treino

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

21 de fevereiro de 2008 | 00h00

Kléber Pereira perdeu um dente (pivô) e sofreu ferimento na parte interna dos lábios num lance de disputa de bola em que foi atingido por uma cotovelada involuntária de Domingos. O atacante saiu irritado de campo na direção do médico Carlos Braga, que estava no banco de reservas, e atirou o jaleco de treino no chão. O técnico Emerson Leão assistiu à cena e mandou que ele pegasse o colete. Depois de atendido, ignorou a ordem do comandante e não voltou. Leão teve de chamar Tiago Luís para completar o time titular nos minutos finais. "O dente que caiu foi um pivô, mas Kléber Pereira já passou por um dentista, seu problema foi resolvido e ele não é problema para o jogo", afirmou Braga. Acesse e acompanhe online, a partir das 19h30, a rodada do PaulistaNesse clima de tensão o Santos volta a campo hoje, às 20h30, contra o Guarani, precisando da vitória a qualquer custo para se livrar das últimas posições. A pressão da torcida, na Vila Belmiro, deverá ser grande. Principalmente se o time voltar a jogar mal.As coisas não andam bem para o Santos, dentro e fora de campo. Desentendimentos, clima pesado, relacionamento ruim entre alguns atletas... Ontem, mais uma vez o destaque no treino foi negativo. A escalação, o noticiário, a importância da partida ficaram em segundo plano. As câmeras se voltaram para Kléber Pereira e Domingos. Os dois sempre são vistos correndo juntos, brincando um com outro. Mas, no início do coletivo de ontem, trocaram ofensas aos berros e chamaram a atenção até dos jogadores que treinavam em outro campo. Denis, que estava perto dos dois no lance polêmico, arrancou risos dos jornalistas ao tentar minimizar o fato, apesar de as câmeras terem flagrado tudo. "Não foi nada demais. Kléber Pereira só reclamou porque Domingos deixou o cotovelo e ele perdeu o dente", comentou o colega. "Não tem como trombar com o Domingos e não sair machucado", emendou.A derrota para o lanterna Rio Preto, no domingo, por 2 a 1, complicou a situação do Santos e de Leão. Caso volte a tropeçar nesta noite, a pressão contra o treinador crescerá, e sua demissão não será nenhuma surpresa. Ele tem consciência de que o momento é delicado. A equipe somou só 8 pontos em nove jogos e conquistou duas vitórias na competição. O risco de rebaixamento passou a assustar elenco, comissão técnica e diretoria, apesar da fragilidade de vários dos concorrentes. Metade do campeonato já passou e o time não dá sinais de reação. Por isso, o confronto com o Guarani, adversário direto na luta contra o descenso, ganhou tom de decisão. OUTROS JOGOS19h30 - Mirassol x JuventusLocal: Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol21h45 - Noroeste x MaríliaLocal: Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.