O dono de nossa única medalha

Há 40 anos, Servílio de Oliveira subiu ao ringue na Cidade do México. Lá conquistou a inédita medalha olímpica para o País no peso mosca: o bronze. "Tudo o que eu conquistei na vida esportiva foi graças à medalha", conta Servílio, que desde 1992 coordena as equipes de boxe da Associação Desportiva São Caetano.A paixão pelo boxe ganhou força na família. Dois de seus cinco filhos são técnicos. Gabriel, de 33 anos , foi o treinador da equipe brasileira de boxe, na Olimpíada de Atenas, em 2004. Foi também Gabriel quem revelou Valdemir dos Santos Pereira, o Sertão, que parou de lutar por sofrer de hepatite C. Ivan, de 26 anos, também treinou Sertão, desde 2000. Antes, Ivan era auxiliar-técnico do irmão Gabriel. Sertão foi campeão mundial dos penas em 2006 e com ele Ivan tornou-se o mais jovem treinador campeão do mundo. Servílio torce para que a nova geração do boxe traga outra medalha de Pequim, em agosto. "Não basta ser bom. Tudo depende da chave e dos fatores que estão por trás da luta. Mas temos chance", acredita Servílio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.