O ''jogo da vida'' das meninas do Brasil

Seleção feminina enfrenta Gana por vaga nos Jogos e sobrevivência

Cláudia Trevisan, O Estadao de S.Paulo

19 de abril de 2008 | 00h00

A seleção brasileira feminina de futebol entra em campo hoje, às 8h45, horário de Brasília, para um dos jogos mais importantes de sua história. A partida contra Gana, no Estádio do Trabalhador, em Pequim, vai definir não apenas a classificação para a Olimpíada, mas o futuro da modalidade no País, na avaliação de jogadoras e do técnico Jorge Barcellos.O futuro das das atuais vice-campeãs olímpicas parece mesmo estar em jogo. Na tarde de ontem, a entrevista de três jogadoras e do técnico foi marcada por expressões dramáticas, que dão idéia da pressão a que o time está submetido."É o jogo das nossas vidas??, afirmou a meio-de-campo Daniela Alves. "Em 90 minutos, vamos decidir o futuro do futebol feminino brasileiro", concordou Barcellos. "Vamos colocar tudo o que treinamos em uma partida só", ressaltou a zagueira Aline Pellegrino.Apesar da pressão, o Brasil é considerado o grande favorito e conta com a simpatia da torcida chinesa, conquistada na Copa do Mundo do ano passado, realizada na China - as meninas ficaram com o vice-campeonato.Outra constante da entrevista foi o lamento pelo fato de o time não ter conseguido se classificar antes. "Deixamos a oportunidade escapar no Sul-Americano e agora só temos essa chance", disse Barcellos. Em 2006, o Brasil disputou a vaga do continente com um time bastante desfalcado e acabou perdendo o lugar para a Argentina.Barcellos afirmou que o time tem "a obrigação" de se classificar. A equipe chegou a Pequim na terça-feira - após 20 dias de preparação na Granja Comary, sem a presença das principais jogadoras, como Marta, Cristiane e Daniela Alves, que só foram liberadas por seus clubes europeus no início dessa semana. Aline disse que a adaptação ao fuso horário foi rápida e que o único problema que as jogadores sentiram foi o clima seco da cidade nesta época.Barcellos ressaltou que não queria desmerecer o time de Gana. Mas afirmou que a Olimpíada perderá em "glamour" caso o Brasil fique fora da disputa. "Mas temos certeza de que vamos sair daqui com a vitória", garantiu a atacante reserva Grazielle. Caso o jogo termine empatado no tempo normal e na prorrogação, a decisão será por pênaltis. Brasil e Gana brigam pela última vaga no torneio feminino. As outras 11 participantes são: Argentina, Estados Unidos, Canadá, China, Nova Zelândia, Alemanha, Noruega, Suécia, Nigéria, Japão e Coréia do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.