O lema no Corinthians é ''bola para Ronaldo''

Reconhecido poder de definição do atacante aumenta confiança dos companheiros, que jogam em função dele

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2009 | 00h00

Mano Menezes iniciou a temporada sob a desconfiança de não vencer clássicos com o Corinthians. Até fazer gols nos rivais do estado era complicado. Mas Ronaldo deu grande colaboração para os tabus ruírem e, hoje, é a grande esperança para mais um triunfo corintiano diante do São Paulo. Seria o terceiro em quatro jogos na temporada.O Fenômeno salvou o time da derrota para o Palmeiras com cabeçada certeira em Presidente Prudente: 1 a 1 e festa por seu retorno ao futebol. Depois, selou a passagem às finais do Estadual com arrancada e belo gol diante do Tricolor, em pleno Morumbi: 2 a 0. Fechou sua série magnífica em clássicos contra o Santos, em plena Vila Belmiro, na decisão: dois belos gols e aplausos até do maior santista, o Rei Pelé."O Ronaldo é diferenciado, um grande jogador. Espero dar muitos passes para seus gols", já avisou o volante Elias, após servir o Fenômeno diante do Internacional, na quarta-feira.As palavras de Elias são provadas, em campo, pelos demais companheiros. Todos sabem do poder de definição de Ronaldo e até exageram ao procurá-lo. Passar a bola para o camisa 9 é "garantir o bicho." "Ele é excepcional dentro da área. Para mim, o maior atacante do mundo", complementa Elias.Ronaldo é diferenciado. Mesmo com gripe, acima do peso ou sem ritmo, dá enorme trabalho aos defensores. Não por acaso, caiu rapidamente nas graças dos corintianos. É o nome mais gritado e, até quando pouco faz ou erra um lance, é aplaudido.Hoje, jogará no palco onde já marcou 7 das 11 vezes pelo Corinthians. A meta? Seguir diminuindo a contagem para os 30 gols previstos para o ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.