Miguel Schincariol/AFP
Miguel Schincariol/AFP

O 'lento' Danilo foi decisivo de novo

Artilheiro corintiano na temporada, meia retribui com o gol da classificação o amor da torcida

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2012 | 03h06

SÃO PAULO - A história mais uma vez se repetiu. Na hora do aperto, lá está Danilo para salvar o time, marcar um gol importante, decisivo. Artilheiro do Corinthians na temporada, com sete gols e também na Libertadores, com quatro, ele ontem mostrou porque é um dos mais amados pela torcida após superar um início conturbado, com vaias e denominação de "lento".

Com gol de chapa, no início do segundo tempo, o meia "eliminou" o Santos e deixou o corintiano eufórico com a primeira final da Libertadores. Humilde, o camisa 20 que por mais de 15 minutos se doou em campo, com dores e mancando, mostrou o motivo pelo qual é querido por todos.

Nada de colher os frutos. Como é o Corinthians, time solidário, ele também resolveu dividir os méritos. "Herói é todo o grupo, todo mundo aqui se ajuda, jogadores, torcida, comissão técnica", afirmou o meia.

Danilo, contudo, não ficou na retranca na hora de falar qual seu sonho no Timão. Sem titubear, mandou o recado que todo torcedor gostaria de ouvir.

"Quero deixar meu nome marcado na história corintiana com o título da Libertadores", disse, cheio de razão. "Quem tem filho pequeno (ele é pai de três crianças) só fica marcado se ganhar título. Estamos muito perto."

O Corinthians conhece nesta quinta-feira quem será seu oponente na decisão das próximas duas quartas-feiras. Boca Juniors e Universidad de Chile se enfrentam em Santiago com vantagem dos argentinos.

Quem o Corinthians prefere? Danilo não escolhe. "Não temos de escolher adversário, o que vier temos de vencer", falou, agradecendo aos céus por mais uma vez poder colaborar. "Só tenho de agradecer a Deus por estar no local certo, no momento certo. Na minha carreira, sempre por onde passei, até no Japão, fiz gols decisivos e espero repetir na final. É um momento importantíssimo, o sonho de todo mundo era essa classificação, mas a gente sabe que não tem nada ganho, serão mais dois jogos complicados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.