O ''louco'' Diego Souza quer time no ataque

O goleiro Marcos pediu calma ao time e aos torcedores no jogo de hoje. Ele só não pode fazer o mesmo pedido a Diego Souza. O meia admitiu ontem que o Palmeiras deve partir para cima do Santos desde o primeiro minuto e que, com ele, a tal paciência não funciona, ainda mais em partidas decisivas."No Grêmio eu aprendi que é preciso ter um pouco de loucura. Quando a gente precisava do resultado, entrávamos em campo para matar o adversário", lembra o camisa 7. "Eu não consigo ter essa paciência. Vamos jogar para cima do Santos, temos de entrar desde o começo para pressionar", avisa.Diego Souza diz que o time não pode jogar apenas no erro adversário. Acredita que, se a equipe demorar muito para dar o bote final, o resultado não será o esperado. "Poder dar um pouco de marasmo (ficar só tocando a bola), e aí a gente entra no desespero e não faz o gol", alerta o atleta. O meia afirma que faltou sorte na partida contra o Sport, quarta-feira, na Libertadores, quando mesmo com um atleta a mais e muita pressão o time não conseguiu sair vitorioso (empate por 1 a 1). "A bola não quis entrar. Será que com o Santos (a história) vai repetir? Acho que não. Uma hora a bola entra", garante, otimista.Diego deve ter hoje a companhia de Evandro, na vaga do suspenso Cleiton Xavier. Willians, machucado, dará lugar para Lenny. A outra ausência será do também lesionado Edmílson - Marcão e Jumar lutam pela posição. Diego não quis entregar com qual formação o Palmeiras entrará em campo: se com dois ou três zagueiros. "Se der vamos com 11 atacantes", brincou o meia, mostrando mais uma vez qual será a postura da equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.