Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

'O mundo da corrida é fascinante e muito democrático. Tem espaço para todos'

Jornalista destaca os desafios dos iniciantes e reforça o prazer de fazer uma atividade física com regularidade

Sílvia Herrera, Blog Corrida Para Todos

24 de janeiro de 2020 | 18h30

O Estadão convidou Sílvia Herrera, jornalista e autora do blog Corrida Para Todos, para escrever um texto sobre sua relação de longa data com a corrida de rua. Nele, a profissional destaca os desafios que costumam pegar os atletas de primeira viagem, mas também reforça o prazer de fazer uma atividade física com regularidade.

No começo fui resistente. Só a ideia de acordar cedo em um domingo de manhã me dava calafrios. Correr de quê?, refletia. Pace, hidratação, gel de carbo, RP, cabedal, entressola, ergoespirométrico -, essas palavras soavam como grego pra mim.

Um dia resolvi aceitar o convite dos amigos para correr. Como sempre fiz esporte, balé, natação, achei que correr 3 km no Parque do Ibirapuera seria mole.

Acordei cedo num sabadão ensolarado, experimentei uma “bomba” - um suco verde horrível com pó de guaraná - e bora para o Ibira. De cara me apelidaram de “patinha”. Quem já viu um pato correndo consegue visualizar a cena.

Tiveram a maior paciência comigo na minha estreia nos 3 mil metros - a volta interna no lago. Fiquei torcendo para o tênis desamarrar, pra poder dar uma paradinha, sem dar recibo que estava cansada… nada. O jeito era dar o melhor de mim e torcer para aquela volta interminável acabar. Corrigiram minha respiração, meus braços, até a posição dos pés. Os dez primeiros minutos foram horríveis, depois foi melhorando e comecei a suar muito. Consegui!! Em seguida, meu prêmio: um coco verde gelado. De lá pra cá nunca mais parei. E isso foi em março de 1990!

No começo gostava de correr descalça nas praias. Depois entrava em todas as maratonas de revezamento. Em seguida veio a obsessão pelas provas de 10 km - durante dois anos corria uma delas a cada domingo, mesmo depois de festa de casamento. Treinava de segunda a sábado, e ainda fazia musculação duas vezes por semana, mais mil abdominais por dia, e pedalava. Meu recorde pessoal, o tal do RP, é dessa fase - 50 minutos na Sargento Gonzaguinha de 2002.

Já perdi as contas de quantas provas de 5 km, 10 km e 21 km já fiz. São Silvestre foram três e maratona foi uma. A de São Paulo, em 2005. Quebrei no KM 33, mil metros depois de ter aceitado uma bendita mexerica. Azedou tudo por dentro. E foi um amigo que me encontrou sentada, dentro do túnel debaixo da Marginal Pinheiros, que me fez recuperar as forças com dois géis de carbo, sabor chocolate. Tirei forças nem sei de onde para completar a prova em 5 horas e 27 minutos. Um tempo pavoroso, mas que pra mim teve sabor de vitória. Você tem seis horas para completar uma maratona ou é desclassificado. Emagreci cinco quilos durante essa corrida. No final, tudo doía, descobri músculos que nem sabia que tinha. Meus erros foram largar bem forte e não fazer pré-hidratação. Graças a Deus minha irmã me esperava na chegada. Meses depois engravidei. Troquei as corridas pela natação nesse período. Depois voltei a correr, inclusive com meu bebê no carrinho - fizemos três provas juntos.

O mundo da corrida é fascinante e muito democrático. Tem espaço para todo mundo. Para quem quer ganhar saúde ou para quem quer bater recordes e ganhar troféus, ou viajar o mundo correndo maratonas majors, ou apenas se divertir. A corrida é para todos. Basta apenas começar. Ninguém ensina uma criança a correr. Ela sai correndo de braços abertos, língua pra fora, toda feliz. Os adultos é que complicam.

Dicas para começar a correr

  1. Se costuma ir anualmente ao médico e sabe que está com a saúde em dia, comece com caminhadas - ritmo acelerado - durante 10 minutos no quarteirão de sua casa ou na esteira do condomínio com o tênis que você já tem e roupas leves - três vezes por semana. Um mês depois compre um tênis com amortecimento, indicado para corridas. Há modelos bons a partir de R$ 250. Se não vai ao médico há anos, marque uma consulta e faça um check up primeiro e peça um atestado para começar a praticar esporte. Se seu médico já te alertou a começar a se mexer, bora lá!
  2. Durante um mês comece a caminhar e correr - no seu ritmo. Ande cinco minutos, corra um minuto, e vá intercalando, até dar 20 minutos.
  3. Se inscreva numa caminhada de 2 km, dessas beneficentes ou conceito (tipo Cartoon, Disney, Chapolin, Longevidade), ou as do Sesc, chame os amigos e a família. A primeira corrida é inesquecível. Posta no Instagram sua evolução, os amigos vão dar aquela força!
  4. Faça hidratação sempre. Os nutricionistas recomendam 2 litros de água por dia. E se alimente antes de ir caminhar. Nada de fazer atividade física em jejum.
  5. Gostou da caminhada de 2 km? Se sim, procure uma assessoria esportiva de corrida perto de sua caso ou trabalho - tem para todos os bolsos. Confira nas praças e parques, os treinos costumam ser entre 6h30 e 9h30, ou entre 19h30 e 21h, nos dias de semana. Ou na Cidade Universitária nas manhãs dos sábados - entre 6h30 e 10h. As mais famosas são MPR (camiseta amarela), Run&Fun (camiseta verde limão), Nelson Evêncio (camiseta azul), Adriano Barros (camiseta rosa) e 4Any1 (camiseta branca). Há também treinos gratuitos nos parques municipais. Bons treinos!
Tudo o que sabemos sobre:
corrida de rua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.