O polêmico empresário Don King faz 80 anos

'Os lutadores vem e vão, apenas Don King permanece'

, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2011 | 00h00

Em 1966, em uma rua de Cleveland, Sam Garret foi pisoteado até morrer por ter uma dívida de US$ 600. Sua última frase: "Don, eu vou te pagar." Pelo ato, Donald King cumpriu prisão de quatro anos. Ao sair da cadeia, Don King trocou o envolvimento com apostas ilegais e passou a organizar lutas de boxe.

Em 1974, Don King, já com os cabelos eriçados e uma longa gargalhada, organizou o histórico duelo no Zaire entre Muhammad Ali e George Foreman.

A partir daí, o boxe revelou o empresário de maior sucesso da nobre arte, que chegou até a trabalhar com o astro da música pop Michael Jackson na década de 80.

Mais de 500 noitadas com disputa de título mundial foram organizadas, com mais de uma centena de lutadores recebendo US$ 1 milhão de bolsa.

Seus eventos com a nobre arte lideram a lista dos mais vendidos no pay per view. Dos dez mais comprados, sete tinham o dedo de Don King. Em 1993, a luta entre o mexicano Julio Cesar Chavez e o americano Greg Haugen levou 132.274 pessoas ao Estádio Azteca, na Cidade do México. No ano seguinte, foi o primeiro empresário a colocar na mesma noitada cinco disputas por títulos mundiais.

Cuidou da carreira de mitos com Muhammad Ali, Joe Frazier, George Foreman, Larry Holmes, Mike Tyson, Sugar Ray Leonard, Roberto Duran, entre outros. E acumulou centenas de processos. Chegou a ser investigado pelo FBI, mas nada de errado foi encontrado.

"Os lutadores vem e vão, apenas Don King permanece", diz o empresário, que completa hoje 80 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.